Tamanho do texto

Presidenta Dilma vai visitar o local nesta sexta e os trabalhadores prometem fazer reinvindicações

selo

Estádio do Mineirão está sendo reformado, com novo gramado e cadeiras
Divulgação
Estádio do Mineirão está sendo reformado, com novo gramado e cadeiras
A paralisação dos funcionários da obra do Mineirão continuou na manhã desta sexta-feira, ao contrário do que informou que aconteceria, na última quinta, a Secopa (Secretaria de Estado Extraordinária da Copa do Mundo) do governo de Minas Gerais. Os trabalhadores seguiram parados em frente ao estádio e prometem reivindicar melhores condições de trabalho pessoalmente com a presidenta Dilma Rousseff .

A visita de Dilma às obras do Mineirão estava prevista para a manhã desta sexta. Ela participaria da cerimônia de contagem regressiva de mil dias para a Copa do Mundo de 2014 , que será realizada no Brasil.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da Construção de Belo Horizonte, os trabalhadores exigem equiparação com o piso salarial pago em São Paulo para as obras de Itaquerão, de R$ 1.150, ampliação do plano de saúde para toda família, aumento no valor do vale-alimentação e melhores condições de trabalho.

A Secopa havia informado na última quinta que o que existia era uma tentativa de paralisação, mas havia funcionários trabalhando. No entanto, o sindicato já avisou que os cerca de 1.100 funcionários que participam da obra só voltarão ao trabalho quando tiverem suas reivindicações atendidas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.