Tamanho do texto

Trabalhadores iniciaram a paralisação na manhã dessa quarta-feira pedindo aumento e melhores condições

A corrida contra o tempo para deixar o Mineirão em condições de receber a abertura da Copa do Mundo de 2014 encontrou um obstáculo a mais na manhã dessa quarta-feira. Os operários que trabalham na reforma do estádio entraram em greve e já abandonaram o local das obras. Os trabalhadores pedem aumento de salário e melhores condições para desempenhar suas funções.

Segundo o Sindicato dos trabalhadores da indústria e da construção de BH e da região, mais de 500 operários entraram em greve, enquanto cerca de 30 trabalham em “Operação-tartaruga” (apenas simulam que estão trabalhando).

Obras do Mineirão no final de maio. Estádio de BH pretende receber a abertura da Copa de 2014
Divulgação
Obras do Mineirão no final de maio. Estádio de BH pretende receber a abertura da Copa de 2014

A principal reivindicação está no aumento de salário: os oficiais que hoje recebem R$ 926,00 querem aumento para R$ 1.250,00, enquanto os serventes que ganham R$ 605,00 solicitam R$ 850,00. A hora extra paga atualmente é de 60%, enquanto os trabalhadores pedem 100%. Os operários ainda estão pedindo uma cesta básica por mês, direito que não existe atualmente. Os trabalhadores reclamam ainda das condições de trabalho, já que faltariam banheiros e água.

O presidente do Sindicato, Osmir Venuto, explica que a construtora responsável pela obra foi procurada para tentar negociar as melhorias, mas não atendeu às solicitações. “A construtora duvidou que iríamos parar e agora eles assustaram. Um absurdo as condições de trabalho nessa obra e os salários pagos”, disse Osmir Venuto.

A Secretaria de Estado Extraordinária da Copa do Mundo de Minas Gerais informou, por meio de nota, que a empresa Minas Arena, responsável pela modernização do Mineirão, está conduzindo diretamente a negociação com os trabalhadores para a normalização dos trabalhos no estádio.

A nota diz ainda que, apesar da paralisação dos operários, 60 máquinas e equipamentos continuam trabalhando em ritmo normal nas operações de terraplenagem e fundações. A Minas Arena também informa que cumpre todas as exigências da convenção coletiva do Sindicato da Construção Civil Pesada e mantém altos padrões de qualidade e segurança. Uma comissão teria sido criada para resolver o problema e está prevista uma nova assembléia para essa quinta-feira.

A crise deflagrada pela greve dos operários das obras do Mineirão representa um revés para Belo Horizonte, cidade que já anunciou ter como objetivo receber a partida de abertura da Copa do Mundo de 2014. O senador e ex-governador mineiro Aécio Neves (PSDB-MG) é também um grande aliado e amigo do presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Ricardo Teixeira, o que reforça o sonho de ter o primeiro jogo do próximo Mundial. Belo Horizonte também já está garantida como uma das sedes da Copa das Confederações , marcada para 2013.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.