Tamanho do texto

Além da demora, problema de visibilidade chamou a atenção de deputados que visitaram o local

Atrasos e problemas de visibilidade marcam obras no Independência
Sylvio Coutinho/Divulgação
Atrasos e problemas de visibilidade marcam obras no Independência
O estádio Independência está no centro das atenções do futebol mineiro neste início de temporada. Depois da polêmica sobre o acordo firmado pelo Atlético-MG para administrar o estádio , mais um atraso para o final das obras foi anunciado na última quarta-feira. O novo prazo anunciado pela Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo de 2014 (Secopa) é para o final de março.

Leia também: Atlético-MG pode administrar o Independência nos próximos anos

A previsão inicial para o término da obra do Independência era o final de 2010, dando tempo de Cruzeiro e Atlético-MG disputarem a reta final do Brasileirão no estádio. Mas a previsão mudou para 2011 e nem assim o cronograma de obras conseguiu ser cumprido. No final do ano passado, a estimativa da Secopa era liberar o estádio no fim de fevereiro, com um amistoso da seleção brasileira.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Porém, durante uma visita dos deputados ao estádio, o Secretário Extraordinário da Copa do Mundo em Minas Gerais, Sérgio Barroso, anunciou uma nova data: fim de março. "Estamos planejando reinaugurar no final de março”, afirmou Sérgio Barroso.

Cruzeiro e Atlético-MG, que mandam suas partidas atualmente na Arena do Jacaré, contam com o Independência para o Brasileirão desse ano, que começa em maio. Os dois clubes estudam reativar seus programas de sócio-torcedor e, para isso, precisam de um estádio com capacidade maior, e em Belo Horizonte.

Ambos afirmam que o Governo de Minas Gerais prometeu ressarci-los pelos prejuízos durante o período em que jogaram em Sete Lagoas. A previsão é que o Mineirão, outro estádio que está em obras para a Copa de 2014,  fique pronto já no final dessa temporada.

Visibilidade
Além dos muitos atrasos para entregar o Independência, outro problema se constata na obra do estádio. Cerca de um quarto dos novos assentos têm sérios problemas de visibilidade do gramado, o que não está de acordo com os padrões da Fifa. A Secopa estuda tornar os ingressos desses assentos mais baratos para minimizar o transtorno.

"Vamos inaugurar o estádio como está. Vamos colocar no ingresso dos torcedores da parte superior, que são aproximadamente seis mil, que a visão dele pode estar parcialmente prejudicada. E o ingresso vai ser mais barato. Estão falando em 30% a 40% mais barato, mas o valor não está fechado", afirmou Sérgio Barroso. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.