Tamanho do texto

Após um empate por 2 a 2 no tempo normal, e uma nova igualdade na prorrogação, o XV venceu a disputa de pênaltis por 4 a 2

Já garantidos na primeira divisão do Campeonato Paulista no ano que vem, XV de Piracicaba e Guarani decidiram a Série A-2 do Estadual na noite deste sábado no Estádio Barão de Serra Negra, em Piracicaba, com a presença de 18.693 torcedores pagantes. Após um empate por 2 a 2 no tempo normal, e uma nova igualdade na prorrogação, o XV venceu a disputa de pênaltis por 4 a 2 e garantiu a sua quinta conquista da A-2.

No primeiro tempo do jogo o meia Rodrigo Paulista foi o principal protagonista. Aos nove minutos, o jogador do Guarani marcou, de falta, para os visitantes. Pouco mais de dez minutos depois, porém, o atleta deu um pontapé em Adilson e acabou sendo expulso de campo. Na sequência da etapa inicial, o mesmo Adilson empatou para o XV, mas Marcos Denner recolocou o Bugre à frente no placar.

No segundo tempo, com o apoio da torcida, o XV de Piracicaba chegou à igualdade com novo gol de Adilson, que aproveitou rebote do goleiro Emerson e mandou o jogo para a prorrogação.

Nos 30 minutos posteriores, divididos em dois tempos, as equipes não quiseram se expor e o placar não foi alterado, o que levou a decisão para a disputa por pênaltis. Nela, Dadá e Carlinhos desperdiçaram para o Bugre, e apenas Paulinho perdeu para o XV, que se sagrou campeão diante de sua torcida.

O jogo - Mesmo com o Estádio Barão de Serra Negra lotado de torcedores do XV, o Guarani não se intimidou com a pressão e abriu o placar logo aos nove minutos, com Rodrigo Paulista. Em cobrança de falta pela esquerda, o meia surpreendeu o goleiro Wanderson, que esperava por um cruzamento, e bateu direto para o gol, encobrindo o arqueiro adversário.

Abalado pelo golpe inicial, o XV de Piracicaba ficou em vantagem numérica alguns minutos depois, quando o próprio Rodrigo Paulista, autor do gol do Guarani, desferiu um pontapé em Adilson e foi expulso de forma direta pelo árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro.

Com um jogador a mais, o time da casa melhorou o seu desempenho e passou a se impor nas jogadas ofensivas. Aos 33 minutos, o XV de Piracicaba chegou ao gol de empate em bela jogada de Adilson, que recebeu pela direita, cortou para o meio e, de fora da área, acertou bonito chute de perna canhota, tirando no canto esquerdo do goleiro Emerson.

Quando parecia que o XV de Piracicaba estava mais perto de obter a vantagem no placar, uma desatenção de sua defesa fez com que o Guarani, mesmo com dez jogadores, voltasse a balançar as redes. Aos 42 minutos, Chiquinho aproveitou sobra de um escanteio e tocou para Marcos Denner que, com categoria, dominou e bateu firme no canto direito para marcar o segundo tento bugrino.

No segundo tempo, empurrado pela torcida, o XV passou a ter uma maior posse de bola. Com dez jogadores, o Guarani se encolheu no campo defensivo, querendo manter a sua vantagem. Entretanto, o bloqueio campineiro foi rompido aos 31 minutos, quando Paulinho chutou, o goleiro Emerson rebateu e Adilson, com oportunismo, marcou o seu segundo gol na partida e definiu a necessidade da disputa da prorrogação.

Com os dois times cansados e com medo de arriscarem jogadas ofensivas, o ritmo da prorrogação caiu muito e a necessidade de uma disputa por pênaltis foi inevitável. Nesse momento decisivo, o Nhô Quim foi mais frio, fez quatro das suas cinco cobranças e garantiu mais um troféu para a sua galeria.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.