Tamanho do texto

Seleção conquistou o título em uma campanha invicta e após cinco atletas terem sido flagrados no antidoping

Jogadores do México levantam a taça de campeão da Copa Ouro 2011
AP
Jogadores do México levantam a taça de campeão da Copa Ouro 2011

Até os 29 minutos do primeiro tempo, o México perdia a final da Copa Ouro por 2 a 0 para os Estados Unidos. Até que apareceu o meio-campista Pablo Barrera. Com dois gols, o jogador comandou a virada por 4 a 2 que ampliou a supremacia do país latino na competição.

Os mexicanos conquistaram a Copa Ouro pela sexta vez em sua história, a segunda consecutiva, e mantiveram os norte-americanos, anfitriões desta edição da competição, com quatro títulos. Feito conquistado com 100% de aproveitamento: seis vitórias em seis jogos, isso mesmo sem cinco atletas flagrados no antidoping nos primeiros jogos.

A vitória no maior torneio organizado pela Concacaf dá ainda mais ânimo ao Mpexico para disputar na próxima semana a Copa América . Com gosto maior por ter sido diante do maior rival no continente e com a maioria no estádio, que terminou a decisão gritando "Olé, Olé, Olé" a cada toque da equipe verde.

O jogo

Os Estados Unidos exerceram bem seu papel de dono da casa, embora com a menor parte dos presentes no estádio Rose Bowl, em Pasadena, na Califórnia. Com o meia Donovan de volta ao time titular, os norte-americanos abriram o placar logo aos oito minutos de confronto.

Michael Bradley, filho do técnico da seleção, Bob Bradley, aproveitou escanteio cobrado por Freddy Adu, substituto do machucado Altidore, para balançar as redes. E a festa dos anfitriões foi ampliada aos 23 minutos, quando Dempsey tocou a bola na área mexicana e Donovan finalizou vencendo o goleiro Talavera.

Pablo Barrera comemora gol. Ele foi o nome da final da Copa Ouro
AP
Pablo Barrera comemora gol. Ele foi o nome da final da Copa Ouro
Os mexicanos, contudo, reagiram rápido. Aos 29 minutos, Hernández cruzou e Barrera desviou na segunda trave para diminuir o marcador. O empate veio sete minutos depois, quando Guardado aproveitou erro do defensor norte-americano Lichaj para recolocar o equilíbrio no marcador.

Embora o placar demonstrasse o empate, a instabilidade demonstrada pelos Estados Unidos durante todo o torneio ficou exposta no segundo tempo da decisão. Era questão de tempo para o México virar. O que ocorreu com somente cinco minutos do segundo tempo, quando Barrera tornou-se o nome do jogo aproveitando passe de Guardado.

Aos 31 minutos, o meia Giovani dos Santos, formado no Barcelona, só deu mais razões para a festa mexicana em terras norte-americanas ao receber de Torrado e vencer o aclamado goleiro norte-americano, Tim Howard, dando número finais ao placar. O time de melhor campanha da competição confirmou sua superioridade na decisão e ficou com o título.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas