Tamanho do texto

Treinador do Cruzeiro prefere não interferir no protesto dos atletas e pensa somente na estreia do Mineiro

O técnico Vágner Mancini foi "bombardeado" com perguntas sobre os salários atrasados e a carta dos jogadores para a diretoria do Cruzeiro , mas se esquivou com maestria. O treinador preferiu não tocar na polêmica e deixou o assunto para os dirigentes celestes, dizendo apenas que espera que seus jogadores estejam focados na estreia no Mineiro, no próximo domingo.

Leia também: Por carta, jogadores do Cruzeiro criticam presidente por salários

Logo na primeira pergunta de sua coletiva, Mancini foi questionado sobre a carta dos jogadores para a diretoria e mandou seu recado. "O assunto é entre a diretoria e os atletas exclusivamente. Está sendo lidado por ambos com muita inteligência. Não gostaria de entrar nesse assunto e espero que vocês (jornalistas) respeitem", disse o treinador cruzeirense.

O treinador foi perguntado sobre a vontade de seus atletas nos treinamentos e negou corpo mole ou desinteresse. "Analisando o que vem sendo feito nos treinos, não acredito que falte vontade. Estou assistindo aos treinos e vejo vontade e ímpeto deles. Isso me deixa tranqüilo. Uma semana de estreia, um pontapé inicial no ano. Espero que estejam sintonizados e saibam que nosso objetivo é vencer na estreia", ressaltou Mancini.

Na resposta em que mais entrou no assunto, Mancini disse que já passou por atrasos de salários em outras ocasiões na sua carreira. "Passei muitas vezes, não é novidade. Futebol está cheio disso. Em alguns lugares teve um desfecho diferente, infelizmente ainda faz parte do nosso dia a dia. Não é só no futebol. Estou muito seguro de que os atletas sabem o que deve ser feito em campo", ponderou.

Entre para a torcida virtual do Cruzeiro e comente as declarações do treinador

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.