Tamanho do texto

Meia do Flu sonha em um dia ser ídolo como Conca, mas ainda não se considera titular absoluto do time

Acostumado a ser taxado pela imprensa como décimo segundo jogador do Fluminense desde que chegou ao clube em 2009, Marquinho parece, enfim, ter assumido a condição de titular da equipe comandada por Abel Braga após a venda de Conca para o Guangzhou Evergrande, da China . Mas pelo visto essa é apenas a sensação do torcedor, já que o jogador, sempre sincero e direto nas entrevistas, não se sente o dono da posição.

“Infelizmente perdemos o Conca, mas nosso time é muito forte ainda e por isso eu não me considero o dono da posição. Todo mundo se respeita bastante dentro do grupo e sabemos que a briga vai continuar sendo leal e sadia dentro de campo”, disse o meia.

Siga o iG Fluminense no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo real

Um dos melhores amigos do argentino no atual elenco e admirador confesso do ex-jogador do Fluminense, Marquinho reconhece que não será fácil substituir o principal ídolo recente do torcedor tricolor. Dentro e fora de campo.

“Nós sabemos que chegar ao nível do futebol do Conca e alcançar o status dele como ídolo do clube não é fácil. Eu, Souza e Deco vamos tentar dividir as tarefas para suprir a ausência dele”, explicou o jogador.

Marcado pelo gol de falta contra o Coritiba que livrou o Fluminense do rebaixamento, em 2009, Marquinho quer muito mais. Preparado para enfrentar o time paranaense apenas dentro de campo, o meia espera que a lembrança daquela partida traga inspiração no próximo sábado.

“Será emocionante voltar a jogar num lugar onde demos um passo importante para um dos feitos mais importantes da história do clube. Aquele gol foi diferente e valeu muito para o clube e para mim. Espero que a lembrança daquele gol me dê motivação e traga inspiração para fazer outro”, disse o jogador.

“Entre para a Torcida Virtual do Fluminense e convide seus amigos”

Mais maduro do que em 2009, Marquinho afirma que evoluiu com todos os treinadores que passaram pelas Laranjeiras e espera um dia atingir o mesmo status conquistado pelo amigo Conca.

“As vezes o jogador é taxado pela imprensa como décimo segundo jogador ou coadjuvante como eu sempre fui. Mas aos poucos eu quero subir alguns degraus e alcançar o status de ídolo do clube como o Conca. Mas sei que isso é bem difícil”, disse Marquinho

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.