Tamanho do texto

Argentino acredita que a união entre os atletas é fundamental para tirar o time da má fase atual

O argentino Montllo é um dos líderes do grupo do Cruzeiro e tem muito crédito com os colegas. Apesar do pouco tempo na Toca da Raposa II, o camisa 10 conquistou o respeito dos companheiros com seu belo futebol e também sua postura fora de campo. O argentino não gostou da polêmica entre Gilberto e os colegas de time e acredita que a união do grupo é fundamental para a conquista de melhores resultados.

Siga o iG Cruzeiro no Twitter e receba todas as informações do seu time

Apesar das diferenças entre os jogadores, Montillo afirmou que o time deve ser uma "família" dentro de campo. "Aqui todos são grandes e sabem o que têm que fazer. Quando chega domingo, sou amigo de todo mundo. Fora de campo tenho minha vida pessoal, amigos que escolho, mas em campo sou amigo de todos. É feio as coisas que acontecem, não podemos fugir disso, porque aconteceu. Tenho uma boa relação com todos os jogadores. Temos que ser uma família para tirar o Cruzeiro dessa situação, porque se não vai ser difícil. Estou mais com os jogadores do que com minha família mesmo", afirmou o camisa 10 do Cruzeiro.

Entre para a torcida virtual do Cruzeiro e convide os seus amigos

O argentino é um dos poucos que estão jogando um bom futebol durante essa má fase do Cruzeiro, que já não vence há quatro rodadas. Todavia, o meia sempre gosta de lembrar que o futebol é um esporte coletivo. "Sinto-me importante dentro do Cruzeiro, dentro de campo e fora também. Mas sempre falo do grupo, não gosto de falar de mim sozinho. Quando ganhamos, ganham todos. Quando perdemos é igual. Não acho que o Monitllo está jogando sozinho. Acho que somos um time, uma equipe que, quando vencemos ou faço um gol, é de todos. Eu também entro na fase ruim do time, tenho que melhorar muita coisa para ajudar a equipe", analisou o humilde argentino.

O jogador defendeu o técnico Emerson Ávila , que ainda não venceu no comando do Cruzeiro. "A pressão é nossa. Passaram três treinadores e não conseguimos acertar o time como pretendemos. Temos que tirar a pressão dele (Emerson Ávila), pegou o time em um momento ruim, difícil. Sabemos o que estamos fazendo mal e por isso estamos onde estamos. Eu gosto muito do jeito que ele trabalha, da pessoa que é. Acho que todos estamos no mesmo caminho e vamos tirar a pressão dele se ganharmos o jogo", concluiu o armador.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.