Tamanho do texto

Camisa 10 não brilhou como esperado contra a Bolívia, mas ainda assim foi eleito o craque do jogo

Lionel Messi, eleito pela Fifa o melhor jogador do mundo, reconhece que seu rendimento com a camisa da seleção argentina é inferior ao que apresenta quando defende o Barcelona. De acordo com o camisa 10, o bom relacionamento entre os atletas da equipe catalã fora de campo facilita.

"O vestiário do Barcelona é muito sadio, há muitas pessoas boas. Tenho uma relação excelente com cada jogador do plantel e talvez por isso seja mais fácil na hora de jogar, porque estamos juntos desde as categorias de base", declarou Messi ao diário argentino Crónica .

Principal esperança do país na briga pelo 15º título de Copa América, Lionel sabe que não pode decepcionar os torcedores, ainda mais porque a competição está sendo disputada na Argentina. Ele acredita ter evoluído muito nos últimos anos, mas sabe que ainda tem uma dívida a pagar.

"Creio que fui crescendo, tanto pessoalmente como no futebol. Passei por coisas importantes no Barcelona, assim como na seleção, apesar de que aqui eu não vou tão bem como lá", reconheceu ele, que tem Ronaldo, um dos maiores nomes da seleção brasileira, como referência.

"Sempre foi um jogador que eu gostei muito, apreciava o jeito como ele se portava no campo. Um atacante estupendo pela forma como definia, por sua velocidade e sua técnica", elogiou.

Outra referência é Diego Maradona. O maior ídolo dos argentinos, no entanto, já fez críticas públicas ao desempenho de Messi com a camisa da seleção, fato que gerou boatos sobre uma possível má relação entre os dois. O craque do Barcelona nega.

"Nunca tive problema com Diego. Se falou muito disso quando ele era técnico da seleção argentina, mas não é verdade. Estou sempre com Kun (Agüero, genro de Maradona) e Diego está sempre falando com ele, então também tem contato comigo todo o tempo", discursou.

Cercado de expectativa após uma atuação sem muito brilho contra a Bolívia, na estreia - Messi foi eleito o "homem do jogo", mas não foi decisivo como no Barça - o camisa 10 volta a campo com a Argentina nesta quarta-feira, contra a Colômbia, às 21h45 (de Brasília), em Santa Fé.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.