Tamanho do texto

Camisa 12 do Palmeiras pode pegar o Cruzeiro em casa e lembrar dia em que precisou parar por cinco meses

Quase um ano depois de se machucar seriamente e ficar quase cinco meses parado, Marcos deve voltar a encarar o Cruzeiro no mesmo Pacaembu, também às 16h, em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro. No dia 05 de setembro de 2010, o camisa 12 do Palmeiras chocou-se com Farías, precisou ser substituído e, do vestiário, viu Deola sofrer os três gols da virada do time mineiro, que voltou para Belo Horizonte com a vitória por 3 a 2.

Relembre: Como foi a partida em que o Cruzeiro virou para cima do Palmeiras no Pacaembu

Goleiro precisou fazer muito alongamento nos joelhos
AE
Goleiro precisou fazer muito alongamento nos joelhos
Agora, neste domingo, no dia 04 de setembro de 2011, Marcos é reforço quase certo para Luiz Felipe Scolari. O fato é que, desde então, o camisa 12 nunca mais foi o mesmo e não consegue engatar uma sequência de partidas. Por isso, quando Deola precisa ser escalado, Marcos nem é mais considerado desfalque. Ainda naquela ocasião, Marcos chegou a dizer que seu joelho estava condenado .

Siga o Twitter do iG Palmeiras e receba as notícias do seu time em tempo real

Em 2011, Marcos fez 23 partidas no ano, sendo a primeira delas em 27 de janeiro, diante do Paulista, pelo Campeonato Estadual. Depois, jogou mais duas partidas e, no dia 06 de fevereiro, após o clássico contra o Corinthians, precisou ficar mais três meses parado. Foi voltar só na vexatória goleada contra o Coritiba, pela Copa do Brasil, no Couto Pereira.

“Claro que me falta ritmo, mas o Felipão perguntou se eu queria jogar e eu ia dizer que não? O time inteiro não jogou bola. Nem se estivesse eu e o Deola aqui no gol a gente pegaria as bolas. Eles tinham que me avisar que não queriam entrar em campo que aí eu deixava o Deola aqui, não passaria essa vergonha”, desabafou Marcos na ocasião.

Coloque seu time em 1º lugar no ranking da Torcida Virtual do iG Esporte

Com muitas dores no joelho, Marcos recebe tratamento especial de Luiz Felipe Scolari, do preparador de goleiros, Carlos Pracidelli, e também de toda a comissão técnica. Por isso, às vezes nem aparece no gramado, recebe apenas uma atenção especial no joelho. Em algumas viagens, o goleiro é poupado, como foi o caso do jogo contra o Botafogo na última quarta-feira, quando deixou Deola na meta.

Goleiro precisou fazer muito alongamento nos joelhos
AE
Goleiro precisou fazer muito alongamento nos joelhos


Nos 23 jogos em que foi ao gol neste ano, Marcos sofreu 22 gols, o que dá uma média de 0,95 gol tomado por partida. Se não tivesse encarado o Coritiba, sua média seria de 0,72. Já Deola atuou em 27 ocasiões e sofreu 17 gols, o que significa uma média de 0,63. Caso o pedido de Marcos fosse realizado, e o camisa 22 defendesse a equipe no Couto Pereira, levando os mesmos seis gols, a média do reserva seria de 0,82.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.