Tamanho do texto

Questionado sobre possível renúncia do cartola da CBF e do COL, técnico afirma que 'mesmo se tivesse a informação, não diria'

Técnico da seleção não quis comentar boatos sobre saída de Teixeira
Getty Images
Técnico da seleção não quis comentar boatos sobre saída de Teixeira
O técnico Mano Menezes concedeu entrevista coletiva na manhã desta terça-feira, no Rio de Janeiro, e além dos temas relacionados aos jogadores escolhidos para enfrentar a Bósnia, no dia 28, em amistoso na Suíça , foi questionado a respeito dos rumores que tomaram conta dos bastidores da CBF e entidades relacionadas à organização da Copa do Mundo de 2014 nos últimos dias. O treinador se esquivou, como esperado, das perguntas sobre uma possível saída de Ricardo Teixeira da confederação e também do COL (Comitê Organizador Local).

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Mano afirmou que não analisa hipóteses e que, mesmo se soubesse algo a respeito dos boatos de renúncia iminente de Teixeira, não falaria a respeito.

"Não tenho nenhuma informação, e se tivesse não diria. É uma questão que não cabe a mim. Não analiso hipóteses. São coisas muito importantes para que o técnico da seleção tenha de emitir opinião.Tenho muitos assuntos para opinar, vou me prender a eles somente", disse.

Veja também:  Deputados incluem cerveja na Copa, mas não dão garantia à Fifa

Já Rodrigo Paiva, assessor de imprensa da CBF, mostrou-se um pouco arredio na coletiva de Mano Menezes, evitando estender a resenha com os jornalistas, como acontece habitualmente em dias de convocação da seleção brasileira.

Apesar de nitidamente evitar o assunto, ele acabou respondendo sobre os rumores de renúncia de Ricardo Teixeira no COL e na CBF. "Estou em contato direto e nada disso foi falado. Inclusive, ele não tem problema de saúde, como chegaram a dizer por aí", limitou-se a dizer o homem de confiança do mandatário da confederação.

Leia também:  Sem Kaká, seleção brasileira tem Gaúcho e novidade no gol

As notícias sobre uma possível saída de Teixeira do comando da CBF e do COL começaram a surgir na última semana. Ele daria lugar ao vice-presidente mais antigo da CBF, José Maria Marín, ex-presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF). As informações, até o momento, não foram confirmadas por qualquer fonte oficial. Indagado informalmente sobre a renúncia, um membro da entidade brincou: "Você acredita em Papai Noel?".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.