Tamanho do texto

Treinador acredita que fator emocional tem pesado para atletas e cobra mudança

A reta final do Cruzeiro no Brasileirão de 2011 deixou os torcedores preocupados, com uma campanha que quase culminou com o rebaixamento inédito do clube. As más apresentações continuaram no início de 2012 e o diagnóstico do técnico Vágner Mancini é claro: os mesmos erros do ano passado continuam a ser cometidos.

Leia também: Reservas do Cruzeiro perdem jogo-treino para time de Angola

O treinador cruzeirense acredita que o time segue oscilando no fator emocional e, por isso, os resultados seguem negativos. “São os mesmos erros. Vi um time (contra o Guarani) que teve muita coisa semelhante a 2011. A falta de liderança emocional dentro de campo faz com que joguemos dessa forma. Em desempenho de distância, corremos até mais do que no último jogo contra o Atlético-MG . Emocionalmente estivemos abaixo da média e por isso tivemos esse desempenho tão fraco”, explica Vágner Mancini.

Depois da derrota para o Guarani , o treinador percebeu o grupo abatido pelo golpe. “Percebi que todos chegaram chateados, volto a dizer que havia expectativa que pudéssemos iniciar bem a temporada, o que vimos não foi isso. Eles sabem disso e assumiram. Todos foram unânimes em dizer que não jogaram nada. Em função disso temos que tirar essa diferença em campo, com muito trabalho”, disse.

Apesar da pressão por uma recuperação imediata, Mancini procura manter os pés no chão para ter tranqüilidade no trabalho. “Acho que o que tem que ser dito é que a derrota doeu, a expectativa era boa, mas nada mudou aqui na Toca. O que tinha sido decidido está sendo mantido. Não dá para mudar nada em função de um resultado negativo. Temos que ser inteligentes para dar o passo certo dentro de campo, com muito trabalho. O que tem que mudar é a atitude em campo”, definiu.

Entre para a torcida virtual do Cruzeiro e comente o aspecto emocional do time

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.