Tamanho do texto

Torcida que lotou o Canindé quer que treinador fique para a próxima temporada, desta vez, na Série A

Já estava tudo preparado. Segundos após o árbitro Heber Roberto Lopes apitar o fim do jogo desta terça-feira entre Portuguesa e Sport, o sistema de som do Canindé disparou o tradicional som “We Are The Champions”, do Queen(em português, Nós somos os campeões). A canção, no entanto, foi abafada pelo grito dos mais de 12 mil torcedores presentes no estádio pela permanência de Jorginho à frente do time.

Com o coro “Fica, Jorginho”, a torcida tenta dar um empurrão nas conversas por renovação que já estão em andamento entre Manuel da Lupa, presidente da equipe, e o treinador, que preferiu não se manifestar sobre o assunto pelo menos até o momento em que o empate por 2 a 2 foi finalizado, e o título, assegurado. O contrato dele é válido até o fim de 2011.

O treinador, muito feliz, agradeceu ao apoio da maioria e acenou visivelmente emocionado para o público, além, é claro, de ser muito assediado pela imprensa. Na sala de imprensa, alguns torcedores brincaram: “Claro que ele vai ficar. Para onde ele vai? Passar raiva no Parque Antártica?”.

Como em toda festa, os torcedores tentam comemorar de todas as formas e, claro, querem ficar mais perto dos ídolos dentro do gramado. No início, representantes da FPF (Federação Paulista de Futebol) tentaram conter a maioria, mesmo após tentativas de mostrar uma pulseira de camarote ou um crachá de sócio.

Minutos depois, com a chegada de membros da torcida organizada, os seguranças acabaram cedendo e permitiram a entrada de um específico grupo. O restante da torcida comum, que também tentava entrar pela porta da imprensa, acabou barrada.

Veja fotos da campanha da Portuguesa na Série B deste ano


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.