Tamanho do texto

"Cheguei há pouco mais de um ano, nunca conquistei nada, então não tem como ser ídolo", disse o meia do São Paulo

O ano do São Paulo não foi muito bom, mesmo com a equipe tendo chances de conquistar uma vaga na próxima edição da Copa Libertadores. Porém, apesar da temporada sem títulos, a terceira seguida, o meio-campista Lucas tem alguns motivos para comemorar. Isso porque ele se firmou como titular da equipe, conquistou o Sul-Americano sub 20 com a seleção e também cravou seu lugar no time nacional principal, do técnico Mano Menezes.

Lucas, meio-campista do São Paulo
AE
Lucas, meio-campista do São Paulo
Siga o iG São Paulo no Twitter

"Ninguém leva o time nas costas. Ano que vem estarei mais preparado, sei do meu potencial, não cheguei aqui à toa. Não conquistei títulos pelo São Paulo, mas meu ano foi bom, apesar de tudo", disse Lucas, que espera começar o ano de 2012 mais preparado e mais maduro, já que 2011 foi uma reviravolta na vida do camisa 7.

"Com certeza, cada ano que passa vamos ficando mais maduro. Tudo na minha vida aconteceu rápido, titular do São Paulo, campeão pela seleção sub 20, cheguei à seleção principal, a cabeça fica a mil. É normal ter aquela queda", avaliou o meio-campista.

São Paulo está em 8º no Brasileirão. Veja a classificação completa do torneio nacional

Titular absoluto do São Paulo, Lucas ainda não se considera um ídolo, apesar de ser cobrado como tal por boa parte da torcida e da imprensa. Para ele, ser uma referência numa equipe precisa ganhar alguma coisa dentro de campo. "Eu nunca fui ídolo no São Paulo. Cheguei há pouco mais de um ano, nunca conquistei nada, então não tem como ser ídolo, falta muito ainda. Se eu for cobrado ou não como ídolo, isso não faz diferença pra mim. Um dia sim quero ser ídolo dessa torcida", contou.

E MAIS: Juvenal Juvêncio diz que Leão deve continuar e alfineta o rival Corinthians
VEJA TAMBÉM:
Denilson quer "esfriar a cabeça" e acabar com a fama de violento

Lucas é reforço certo do São Paulo para o último jogo do Brasileirão, contra o Santos, depois de cumprir suspensão diante do Palmeiras. Para ficar com uma vaga na Libertadores, a equipe precisa vencer os reservas do rival no clássico em Mogi Mirim e ainda torcer para que Coritiba, Internacional e Figueirense não vençam os duelos regionais contra Atlético-PR, Grêmio e Avaí, respectivamente.

"Temos que ter atenção redobrada, é um clássco, tudo pode acontecer. Independente de quem joga no time deles, é o Santos que está do outro lado. Temos que fazer nosso papel e torcer pelos outros resultados", finalizou Lucas.

São-paulinos são maiores que santistas na Torcida Virtual. Ajude seu time

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.