Tamanho do texto

Criticado por Maradona, o dirigente brasileiro do PSG reagiu às críticas do treinador argentino

Na resposta a Maradona, Leonardo colocou argentino abaixo de Pelé e do compatriota Messi
Getty Images
Na resposta a Maradona, Leonardo colocou argentino abaixo de Pelé e do compatriota Messi
O brasileiro Leonardo , diretor esportivo do PSG , reagiu ironicamente às críticas do argentino Diego Maradona , treinador do Al Wasl, do Catar, que afirmou que o brasileiro não tinha função definida no clube francês e só havia chegado onde chegou por ser "lobista".

Maradona alfineta Leonardo e o chama de traidor

Ao jornal L'Équipe , Leonardo respondeu no mesmo tom: "Ele tem razão, sou eu próprio que não percebo isso no dia a dia. Mas fico feliz pelo fato de o segundo ou terceiro melhor jogador de todos os tempos, atrás de Pelé e de Messi, falar de mim e do PSG".

Na última semana, o polêmico argentino questionou o trabalho do brasileiro, que já foi dirigente e técnico do Milan , técnico na Inter de Milão e chegou ao PSG para ocupar um cargo de confiança dos investidores árabes.

"Não consigo saber qual é a do Leonardo. Não entendi quando trocou o Milan pela Inter de Milão, e ainda entendi menos qual é sua função atual no PSG. Não sei se ele é jogador, treinador, agente ou negociante de petróleo. Não entendo. Esta é a prova que no futebol quem souber fazer lobby sempre ganha", disparou Maradona.

Leonardo chegou ao PSG em julho de 2011 para "fazer a ponte" entre o Qatar Investiment Authority , grupo gerido por xeques do petróleo, e o treinador da equipe, que na ocasião era Antoine Kombouaré. Desde a última semana, o comandante da equipe parisiense é o italiano Carlo Ancelotti.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.