Tamanho do texto

Promotoria de Munique decidiu esperar resultados da perícias realizadas na residência do atleta para tomar decisão sobre o assunto

A Promotoria de Munique negou nesta quinta-feira o pedido de habeas corpus para o zagueiro Breno , do Bayern de Munique , que está preso desde o último sábado sob suspeita de ter incendiado a própria casa . Em audiência fechada, a Justiça decidiu esperar os resultados das últimas perícias realizadas na residência do atleta para poder tomar uma decisão sobre o assunto. Dessa maneira, o ex-jogador do São Paulo deve permanecer detido por pelo menos mais duas semanas.

LEIA TAMBÉM: Alemães dizem que Breno estava bêbado no momento de incêndio

Breno estava sozinho em sua casa na madrugada do último dia 19, quando a propriedade foi totalmente destruída pelo incêndio . Sua esposa, Renata, e as três crianças estavam fora da propriedade, avaliada em R$ 3,7 milhões. Após investigações preliminares, a Justiça alemã deteu o jogador preventivamente para evitar que ele deixasse a Alemanha.

Contratado em 2008 pelo Bayern de Munique, Breno nunca se firmou como titular do time. Após a prisão, a diretoria da equipe bávara declarou apoio total ao atleta e lamentou que o brasileiro esteja sendo tratado de maneira "desumana".

Segundo o jornal Bild , Breno está em uma cela de 24 metros quadrados e pode praticar vôlei de manhã ou correr no pátio. O brasileiro tem direito a duas refeições por dia, uma às 12h e outra às 16h.

    Leia tudo sobre: bayern de munique
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.