Tamanho do texto

Técnico da Portuguesa lamenta ausência de reforços e já admite trabalhar com grupo menor em 2012

selo

Depois de conquistar o título do Campeonato Brasileiro da Série B e de garantir o acesso para a divisão de elite em 2012, o técnico Jorginho condicionou a sua permanência na Portuguesa à formação de um grande elenco. Mas, diante do mercado inflacionado, já admite que a Lusa não conseguirá montar o time que ele gostaria.

Leia mais: Portuguesa se reapresenta com três caras novas e 'cobiçados'

"Estou vendo de perto o esforço da diretoria. Mas está difícil acompanhar os grandes clubes, porque os valores de salários são bem altos, bem distantes da realidade da Portuguesa", disse Jorginho. "Não sou contra se pagar bem, mas está demais a distância entre os grandes clubes e os outros de menor poder financeiro".

Confira o vai e vem do Mercado da Bola do iG

Diante dessa situação, Jorginho aceitou a argumentação dos dirigentes e já admite trabalhar com um grupo menor do que desejaria para 2012. "Não quero e não vou deixar o clube se endividar mais do que já está hoje. Todos os clubes deveriam agir assim, não gastar mais do que podem e conseguem pagar", declarou o técnico.

Sobre os reforços, o técnico segue em busca de jogadores que venham para vestir a camisa com o mesmo pensamento do elenco que conquistou o título da Série B. "Quero jogadores que venham para somar. Nome não ganha jogo, de nada adianta termos um grande jogador se os outros não estiverem à altura dele", avisou Jorginho.

Já de volta das férias, o elenco da Portuguesa realizou exames médicos e testes físicos nesta terça-feira, utilizando tanto o Canindé quanto uma clínica de fisiologia no bairro do Ibirapuera. Nesta quarta, o grupo irá treinar novamente em dois períodos, desta vez no Centro de Treinamento do Parque Ecológico do Tietê.