Ex-Liverpool, Sadio Mané troca Ferrari e relógio por hospital e escola

Jogador, que acaba de fechar com o Bayern, se diferencia do estilo de vida de outros jogadores de futebol

Pobreza

Mané nasceu em Bambali (Senegal), uma pequena cidade de dois mil habitantes localizada no extremo oeste do norte da África. No local, não há estradas pavimentadas. As vacas e cabras perambulam entre as pessoas. A vila de pescadores, às margens do rio Casamance, fica a mais de sete horas da capital.

Instagram

Hospital

As mulheres da localidade davam à luz dentro de suas próprias casas. Além disso, as mortes por falta de assistência eram constantes. O pai do jogador foi uma das vítimas e morreu por não poder receber atenção médica adequada. O jogador, então, bancou a construção de um hospital.

Instagram

Escola e internet

Mané também construiu uma escola, deu um laptop a cada aluno, financiou um novo posto de gasolina, construiu um correio, um estádio, doou material esportivo para todas as crianças da comunidade e até instalou um Rede 4G para toda a cidade.

Instagram

Ajuda em dinheiro

Sem contar que Mané dá 70 euros por mês a todas as pessoas da região, contribuindo para a economia da localidade.

Instagram

Justificativa

Mané já falou sobre suas atitudes. "Não preciso exibir carros chiques, casas chiques, viagens e até aviões. Prefiro que meu povo receba um pouco do que a vida me deu”

Instagram

Luxo?

“Por que eu iria querer dez Ferraris, 20 relógios de diamante ou dois aviões? O que esses objetos vão fazer por mim e pelo mundo? Passei fome e tive que trabalhar nos campos; Sobrevivi a tempos difíceis, joguei futebol descalço, não tive educação e muitas outras coisas, mas hoje, com o que ganho graças ao futebol, posso ajudar meu povo”, explicou.

Reprodução/Instagram

Novo clube

A boa notícia é que o jogador poderá seguindo ajudar o seu povo. Ele fechou recentemente com o Bayern de Munique e deixou o Liverpool após ter conquistado tudo em seis temporadas. Segundo o jornal Bild, da Alemanha, a equipe bávara vai pagar um salário de 20 milhões de euros (R$ 102,8 milhões) por temporada ao senegalês

Divulgação