Cristiano Ronaldo
Divulgação
Cristiano Ronaldo

Uma agente de viagens que enganou Cristiano Ronaldo e desviou 288 mil euros, algo em torno de R$ 1,5 milhão , ainda não conseguiu pagar o valor fixado pelo tribunal para evitar a prisão.

Maria Silva, de 53 anos, foi condenada a quatro anos em liberdade, com a condição de entregar 9600 euros (R$ 49 mil) ao Estado. Caso não o fizesse, iria para a cadeia.

Diante da dificuldade de juntar a quantia, o juiz do Tribunal de São João Novo já tinha aumentado o prazo até fevereiro deste ano, mas a condenada ainda deve cerca de metade do valor.

Agora, o magistrado decidiu dar uma última oportunidade para a golpista. Num despacho de 18 de março foram dados mais 60 dias para ela pagar o valor. Ou seja, se não pagar até 18 de maio, será colocada na cadeia.

Leia Também

O caso ocorreu há três anos. A agente de viagens aproveitou ter os cartões de crédito e as senhas do futebolista português para desviar dinheiro de 200 viagens que ele nunca fez. A fraude ocorreu entre fevereiro de 2007 e julho de 2010.

A responsável não era uma simples agente de viagens e tinha um escritório especial da consagrada empresa Gestifute, no Porto, justamente para tratar das viagens de jogadores de futebol, bem como das suas famílias. Por serem clientes especiais, a agente tinha a missão de lhes dar um tratamento personalizado e sigiloso. E, por isso, também tinha a total confiança de vários atletas. 

Ela só foi pega após o cartão de crédito de CR7 expirar. Ao ser descoberta pela empresa, um processo foi iniciado e ela acabou condenada. Além de Cristiano Ronaldo, estariam entre as vítimas o jogador Nani, o ex-jogador do Valência, Manuel Fernandes, e o famoso representante do futebol Jorge Mendes. Cada um deles teve um prejuízo de 350 mil euros.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários