Ferran Soriano, CEO do Manchester City arrow-options
Site oficial
Ferran Soriano, CEO do Manchester City

O CEO do Manchester City, Ferran Soriano, esclareceu, nesta quarta-feira, algumas questões a respeito da punição sofrida pelo clube em que ficará sem poder disputar uma Liga dos Campeões pelas duas próximas temporadas. O espanhol disse que as alegações contra os Sky Blues são falsas e que os responsáveis já estão reunindo evidências para contestar e revogar a decisão tomada na última sexta-feira.

"O mais importante que eu tenho para dizer hoje é que as acusações são falsas. Elas simplesmente não são verdadeiras. O torcedor pode ter certeza de duas coisas. A primeira é que as alegações são falsas. E a segunda é que faremos o possível para provar isso".

Soriano negou que o City não tenha cooperado com as investigações e que espera uma audiência mais justa na Corte Arbitral do Esporte, o CAS.

"Nós cooperamos com o processo. Entregamos uma longa lista de documentos que acreditamos como evidências irrefutáveis de que as acusações são falsas. Tudo o que nós queremos agora é um julgamento justo, em um órgão independente e imparcial que leve o tempo necessário para analisar as evidências sem preconceitos".

Sobre o que Pep Guardiola e o elenco estão pensando sobre o processo, o CEO fez questão de garantir que todos estão focados no campo

"Obviamente Pep foi informado sobre o processo, mas não é algo que ele deva responder. Ele está focado no futebol, no jogo. Os jogadores também estão calmos e focados no futebol. Esta é uma questão mais jurídica e comercial do que esportiva".

Segundo Soriano, a expectativa é de que haja uma rápida solução para o caso através de um processo completo. O dirigente espera que todas as questões se resolvam antes do verão europeu e que, até lá, tudo continua funcionando normalmente, tanto nos negócios, quanto no futebol.

LEIA A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA:

Hoje é quarta-feira, 5 dias após a notícia. Por que estamos aqui e por que você está falando agora?

Eu acho que o clube tem que dizer algo sobre esse assunto. Temos que fazer isso por nós, pelos nossos parceiros, pelos torcedores e por toda a família Manchester City ao redor do mundo. No entanto, temos que ser rigorosos. Temos que ser respeitosos, como sempre fomos, com esse processo que continua. Gostaria de poder dizer mais, gostaria de ter falado cinco minutos após o anúncio desta sanção, mas precisava de aconselhamento jurídico sobre o que pode e o que não pode ser compartilhado. Mas espero dar informações suficientes para entender onde estamos e para onde estamos indo.

O City foi condenado na Câmara do Fair Play Financeiro por irregularidades financeiras e falta de cooperação. Como você responde a essas duas acusações?

A coisa mais importante que tenho a dizer hoje é que as acusações não são verdadeiras. Elas simplesmente não são verdadeiras.

E a questão do proprietário ter colocado seu próprio dinheiro no clube por meio de patrocínios?

O proprietário não colocou dinheiro neste clube que não foi devidamente declarado. Somos um clube de futebol financeiramente sustentável, somos rentáveis, não temos dívidas, nossas contas foram examinadas muitas vezes por auditores, reguladores, investidores e tudo está perfeitamente claro.

E em termos de não cooperação, como que o clube não cooperou?

Nós cooperamos com este processo. Entregamos uma longa lista de documentos que acreditamos serem evidências irrefutáveis de que as acusações não são verdadeiras. E foi difícil porque fazemos isso no contexto de informações que vazavam para a mídia, com a sensação de que, a cada passo, em cada interação que tínhamos, éramos considerados culpados antes de discutir qualquer coisa. No final, este é um processo interno, iniciado, processado e finalmente julgado por esta câmera da UEFA do Fair Play Financeiro.

O clube foi muito agressivo no comunicado na sexta-feira. Tinha um tom mais combativo do que em outras ocasiões. Dizia-se que o processo havia sido prejudicado. Por que?

Esta tem sido a nossa experiência, é assim que nos sentimos ao longo deste processo. Claro, muitas pessoas vêm agora e dizem: o que você esperava? É assim que funciona. Da maneira como o sistema funciona, você já podia prever um resultado negativo. Mas nós não acreditamos nisso. Trabalhamos muito para fornecer as evidências, mas, no final, essa Câmara do Fair Play Financeiro se baseou mais em e-mails roubados e fora de contexto do que em todas as outras evidências que fornecemos sobre o que realmente aconteceu. Eu acho que é normal que nos sintamos assim. Ao fim, com base em nossa experiência e nossa percepção, isso tudo foi menos de justiça e mais de política.

Vocês vão para o CAS. O clube já esteve lá uma vez. Agora iremos novamente. Qual é a diferença?

É assim que o sistema funciona. Fomos ao CAS no meio do processo porque achávamos que não estávamos tendo um processo justo e estávamos preocupados. Preocupados especificamente com o vazamento constante de informações. O CAS disse que havia mérito em nossa denúncia, que os vazamentos eram "preocupantes" e disse que julgaria quando o processo terminasse. O processo acabou agora. Vamos ao CAS novamente.

Isso parece continuar sem parar. Existe uma data prevista?

Queremos uma solução rápida, obviamente, após um processo completo e justo. Minha esperança é que isso termine antes do início do verão. Até lá, para nós, os negócios e o futebol continuam como de costume. 

É justo dizer que essa é provavelmente a experiência mais frustrante e negativa pela qual o clube passou?

A experiência com esta Câmara de Pesquisa foi negativa para nós, mais do que eu teria imaginado. Mas isso não é a UEFA, não estamos falando da UEFA em geral, que é uma associação de federações que fez um trabalho incrível no futebol nos últimos anos, especialmente na última década. Pessoalmente, conheço muitas pessoas que trabalham muito na UEFA, em benefício da UEFA, mas também em benefício de clubes da UEFA, como o nosso, e em benefício do futebol. Se a experiência negativa que tivemos e a maneira como esse processo foi desenvolvido são negativas, também é negativa para elas. A UEFA é muito maior do que esta Câmara do Fair Play Financeiro.

O que você está procurando agora? 

Estamos apenas procurando um julgamento justo, em um órgão independente e imparcial que leve o tempo necessário para examinar todas as evidências e analisá-las sem preconceito. Também estamos aguardando o fim desse processo para, talvez, pôr fim a essas críticas veladas que ouvimos o tempo todo. Parece que tudo o que fazemos, quaisquer resultados que obtemos, são baseados apenas em dinheiro e não em talento e esforço. As centenas de pessoas que trabalham neste clube sabem que não é verdade, que se trata de esforço e talento. No final, esse processo pode ser uma oportunidade.

Você falou com Pep? Como ele está?

Obviamente, Pep foi informado sobre esse processo, mas isso não é algo que ele deva responder. Ele está focado no futebol, no jogo, hoje, amanhã ou na próxima semana. Os jogadores também são calmos, eles estão focados no futebol. Essa questão é mais uma questão jurídica e comercial do que de futebol.

Isso tem sido difícil para você, também para todos na organização. Mas também tem sido difícil para os torcedores. Você tem uma mensagem final para eles?

Os torcedores podem ter certeza de duas coisas. A primeira é que as acusações são falsas. A segunda é que faremos o possível para provar isso. Sabemos que os torcedores nos apoiam, sentimos muito isso. Os torcedores do Manchester City têm superado desafios durante décadas. Este é apenas mais um desafio. Ficaremos juntos, passaremos pelo processo e não decepcionaremos nem ao Clube nem aos torcedores.

    Veja Também

      Mostrar mais