Tamanho do texto

O treinador argentino falou também sobre as comparações entre ele e Pelé e cravou que nenhum dos dois é o melhor da história

Maradona arrow-options
Divulgação
Maradona falou sobre seus problemas com drogas

Ídolo do futebol, Diego Maradona revelou em uma entrevista nesta terça-feira que se tornava um "zumbi" quando consumia cocaína. O camisa 10 nunca escondeu que foi dependente químico, mas declarou no programa esportivo "Líbero", da TyC Sports, que passou a defender a campanha contra às drogas por conta dos danos que elas podem causar não só aos usuários, como a todos próximos a eles.

Leia também: Maradona diz que não deixará herança para as filhas: "Vou doar"

"Vou te dizer uma coisa: Não às drogas. Que não tenham espaço na sociedade e nas famílias. Eu aprendi isso com meus pais. Eu não fui mal educado, eu aprendi mal. Na minha casa me educaram com amor e quando eu consumia cocaína eu não tinha nada, eu virava um zumbi", ressaltou Maradona .

Como não podia ser diferente, Maradona esclareceu não apenas dúvidas sobre sua vida pessoal, como também compartilhou a opinião dele sobre diversos assuntos relacionados ao futebol. Para o argentino, por exemplo, nem ele nem Pelé devem ser considerados os melhores jogadores da história.

Leia também: Maradona sobre fim de relacionamento: "Minha vontade era arrancar a cabeça dela"

"Acho que o melhor da história foi (Alfredo) Di Stefano. Foi superior a todos, incluindo a mim. Os amigos de Pelé inventaram um troféu como a lenda viva do futebol. Ganhei até de Pelé no Rio por ser o melhor da história", disse.

Apesar de ter entrado para história, Maradona se descreve com um homem "normal", que acabou se tornando reconhecido pelo seu trabalho.

"Diego Maradona é um cara normal que fez um grande gol contra os ingleses. Hoje todos me reconhecem porque o avô contou ao pai e o pai, ao filho. Mas eu sou um cara totalmente normal, mais argentino do que nunca", resumiu o ex-jogador.