Tamanho do texto

Mesmo com a expulsão do zagueiro Pedro Geromel, o tricolor conseguiu uma vitória por 2 a 0 no jogo de ida das oitavas de final da Libertadores

Lance

Tardelli comemora gol pelo Grêmio arrow-options
Reprodução / Conmebol
Tardelli marcou o primeiro gol do Grêmio

Foi na base da alma, da garra e, acima de tudo, da bola parada. Em jogo de primeiro tempo com pressão total do Grêmio sobre o Libertad na Arena, na etapa complementar a expulsão do zagueiro Pedro Geromel levou a aposta certeira da bola parada. O resultado? Vitória por 2 a 0 e uma vantagem excepcional para o confronto da volta marcado para o dia 1° de agosto às

COMEÇOU EM CIMA!

Antes mesmo dos cinco minutos de jogo, os toques rápidos e a movimentação coordenada iam, aos poucos, desmontando a marcação dos paraguaios e levando perigo a meta de Martín Silva.

A primeira grande finalização veio logo aos três minutos quando Everton, no seu melhor estilo, dominou pelo lado esquerdo e, depois de arrastar a bola pro meio, bateu forte para o arqueiro do Libertad ter de se esticar todo e fazer uma complicada defesa.

DEFESA ADAPTADA

Depois de um período mais difícil superado pelo Libertad, a sequência da etapa inicial teve o Grêmio ainda com muito mais posse de bola e domínio territorial, mas sem a mesma capacidade de finalizar com tanta tranquilidade. Apesar das chegadas variando os lados com os avanços principalmente de Alisson na direita e Everton na esquerda, apenas Maicon conseguiu um chute mais claro onde Martín Silva foi novamente exigido consideravelmente.

SEM SAÍDA

Enquanto o Imortal tomava conta do confronto, eram muito raros os momentos onde o Gumarelo ultrapassava a linha do meio-campo tendo tempo para raciocinar suas jogadas. Com essa posse absolutamente reduzida, somente houve um chute a gol que exigiu algum tipo de trabalho por parte de Paulo Victor onde Adam Bareiro bateu de fora da área e o arqueiro gremista encaixou sem maiores problemas.

QUE CHANCES!

Assim como na etapa inicial, novamente o Tricolor chegou com muito perigo e com clareza para abrir a conta ainda aos dois minutos em ataque que resultado em bola espirrada dentro da grande área. Todavia, na sobra, ela caiu dentro da pequena área e André, com ângulo bem coberto por Martín, mandou pra fora.
Em lance semelhante do ponto de vista da distância para a meta, Maicon estava bem posicionado no rebote de chute da por Alisson e defendido pelo arqueiro do Libertad, mas acabou mandando também pela linha de fundo para desespero do público presente na Arena.

PROBLEMÃO

Em um confronto onde fazer o gol parecia a única preocupação necessária para os anfitriões, aos quatro minutos Pedro Geromel acabou fazendo falta dura em Edgar Benítez usando a sola da chuteira e, após revisão do Árbitro de Vídeo com consulta do árbitro uruguaio Esteban Ostojich, o zagueiro gremista foi expulso com cartão vermelho, provocando minutos de tensão em Porto Alegre.

EXPLODE, ARENA!

Mesmo com um homem a menos, a bola aérea surgiu como elemento salvador. Na cobrança de escanteio executada por Alisson, Kannemann fez o desvio na primeira trave e Diego Tardelli, após dias de muitas críticas e incertezas sobre sua permanência, bateu de voleio para balançar as redes de Martín Silva e estremecer a casa do Imortal. Com direito, aliás, a comemoração com choro do camisa 9.

FECHOU A CONTA

Se preocupando em segurar o resultado na base de não dar espaços para a superioridade numérica ser o diferencial do Libertad, o Grêmio novamente se apoiou na bola aérea e marcou um gol tão inesperado como especial. Aos 38 minutos, Alisson bateu falta e David Braz subiu bem para cabecear no extremo canto esquerdo de Martín.