Puyol e Piqué foram campeões do mundo pela Espanha
Reprodução / Daily Mail
Puyol e Piqué foram campeões do mundo pela Espanha

O ex-zagueiro Carles Puyol foi um dos jogadores mais marcantes da história do Barcelona, eternizado com a faixa de capitão e idolatrado pela torcida catalã, mas para ele, seu ex-companheiro de zaga tinha mais qualidade e o superava.

Leia também: Mourinho critica Ronaldinho e elogia Messi em relatório vazado por jornal inglês

“Piqué era melhor que eu. É o melhor zagueiro do mundo , mas somos diferentes. Ele é chave para o Barcelona em tudo o que faz, sua liderança, sua competitividade... É um fenômeno e um grande amigo", disse Puyol em entrevista para o jornal 'Marca', da Espanha.

O ex-zagueiro comentou também sobre os brasileiros do Barcelona Arthur e Philippe Coutinho, e elogiou bastante o garoto revelado pelo Grêmio, apesar de pedir calma nas comparações com outros grandes jogadores que estiveram no clube.

“Ele tem 22 anos e está demonstrando uma personalidade enorme, qualidades similares... Mas o comparar com Xavi são palavras maiores. Estamos falando de um dos melhores meio-campistas da história. Tem que ir passo a passo, deixar Arthur trabalhar e parabenizá-lo por como está jogando. Que se fixe em Xavi, veja vídeos e aprenda com ele”, aconselhou.

Leia também: Criticado na Espanha, Arthur fala sobre ida à festa de Neymar: "acho que errei"

Você viu?

Sobre Coutinho, que não vive um bom momento dentro de campo, Puyol acredita que seja um problema de confiança do brasileiro.

“Creio que é um problema de confiança, porque ele tem as qualidades. Já demonstrou em outras equipes, inclusive no Barcelona quando chegou. Precisa de confiança”, disse.

O eterno camisa cinco comentou também sobre o estilo de jogo atual do Barça, que já não apresenta a posse bola e domínio característico das equipes que eram comandadas por Pep Guardiola.

Leia também: Em baixa no Barcelona, valor de mercado de Coutinho cai 40 milhões em um ano

“Acredito que o Barcelona tenta jogar, ter posse e dominar as partidas. Mas nem sempre se consegue. Se comparar com o Barcelona que eu tive a sorte de viver, que tinha Xavi, Iniesta... É difícil que voltemos a ver um jogo assim, mas a ideia e a filosofia seguem presentes. Tentam fazer o mesmo futebol, mas não é fácil”, afirmou Puyol .

    Leia tudo sobre: Futebol

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários