Tamanho do texto

Técnico Falcão deve manter a base de time, com possibilidade de variação apenas no esquema tático

Recentemente, o Inter sofreu duas duras derrotas: para Peñarol e Grêmio. O time não jogou bem e começaram projeções: Bolívar vai perder o lugar no time, Nei também pode sair, Juan ganhará chance na defesa, jogadores veteranos serão liberados.... Porém, nada disso deverá acontecer. Pelo menos por enquanto...

O grupo de jogadores até passará por reformulação durante a temporada. Mas para enfrentar o Grêmio, neste domingo, 16h, no estádio Olímpico, poucas mudanças serão feitas no time.

“É muito simples colocar o jogador B e tirar o A. Você só pode fazer isso quando tem praticamente a certeza de que o B vai dar certo. Se não você mata o A emocionalmente”, explicou Falcão .

O treinador preferiu não antecipar a escalação para o clássico. Três dos quatro treinos táticos da semana foram com portões fechados. Porém, existe uma tendência. A variação seria apenas no esquema tático. Podendo ser 4-4-2, 4-2-3-1 ou 4-3-3. O time chegou a trabalhar com três zagueiros, mas a alternativa foi descartada pelo treinador.

“Alguns esquemas tem uma variação muito pequena. O 4-2-3-1 é uma variação do 4-4-2. 3-5-2 já requer mais treino, precisa de jogadores com outras características. Não significa que não se possa fazer, mas é mais para o decorrer dos jogos”, disse.

O Inter deve ter Renan; Nei, Bolívar, Índio e Kléber; Bolatti, Guiñazu, Andrezinho, Oscar e D´Alessandro; Leandro Damião. O volante Tinga está suspenso. O atacante Rafael Sobis sente dor no joelho e foi vetado pelos médicos . O zagueiro Rodrigo, com desconforto muscular na coxa, ainda é dúvida. O atacante Cavenaghi, por causa do limite de estrangeiros, deverá ficar fora da relação de concentrados.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.