Tamanho do texto

Jogador comentou sobre futebol italiano, seleção brasileira e não quis se definir como meia ou volante: "Sou um ser humano"

A atual temporada europeia começou há poucos meses, mas já se tornou especial para o brasileiro Hernanes, da Lazio. Afinal, foi nela que ele se destacou em um clássico contra Roma e depois ainda completou seu 50º jogo pelo time. Cada vez mais adaptado e elogiado na Itália, o meio-campista brasileiro disse, em entrevista exclusiva ao iG , que não pensa em voltar ao Brasil.

"Isso é uma coisa só a longo prazo, nem tenho ideia quando pode acontecer", afirmou Hernanes, destacando sempre a sua felicidade pelo momento vivido na Lazio, time pelo qual ele já marcou cinco gols nesta temporada. Um dos seus objetivos, aliás, é superar seu número de gols a cada temporada. Ou seja, precisa fazer mais do que 12 e também por isso tem jogado cada vez mais avançado na Lazio, como um meia mesmo.

Não sou meia nem sou volante. Eu sou um ser humano

 Porém, o "volante-meia" Hernanes não quer saber de rótulos sobre sua posição. Ele acredita que pode jogar mais atrás ou mais na frente, como o treinador pedir, seja na Lazio ou na seleção brasileira . "Não sou meia nem sou volante. Eu sou um ser humano", afirmou o jogador, para afastar qualquer rótulo que esconda sua versatilidade.

Hernanes não teve problemas de adaptação e logo se tornou fundamental na Lazio
AP
Hernanes não teve problemas de adaptação e logo se tornou fundamental na Lazio

Além disso, na entrevista Hernanes também falou também da sua recente convocação para a seleção e até comentou sobre uma comparação com Pirlo, feita pelo próprio jogador da Juventus . Confira:

A Lazio ficou em quinto lugar no Campeonato Italiano da temporada passada e continua bem na edição atual . O que ela tem feito de mais importante para surpreender e superar os principais times da Itália?
Hernanes:
Além de ter mantido a base do campeonato passado, o que é muito importante, agora chegaram novos reforços, que melhoraram o grupo. Mas no começo do Campeonato é normal os times grandes não se encontrarem. A gente está aproveitando esse momento.

As surpresas no Campeonato Italiano têm acontecido com frequência . Você acha que isso é um fenômeno momentâneo ou permanente?
Hernanes:
Esse momento tem tudo para ser permanente, principalmente com Udinese, Napoli e Lazio. A Udinese até mudou alguns jogadores, mas Napoli e Lazio não. E todos têm tudo para se manter bem no Campeonato.

Essa má fase de times grandes, como a Internazionale atualmente, indica que o Campeonato Italiano está em decadência?
Hernanes:
Acho que não está em decadência não. Se você observar as três equipes tradicionais, elas têm times fortes. O que acontece é que as outras também estão muito fortes. Acho que o Campeonato Italiano está nivelado por cima e não por baixo. E esse equilíbrio, essas surpresas, são uma coisa rica para o futebol italiano. São mais times fortes brigando pelo título.

Leia também: Sem astros e com surpresas, futebol italiano entra em declínio

E como está sua situação na Lazio? Você completou recentemente 50 jogos pelo time. Não pensa em sair?
Hernanes:
Estou muito feliz aqui. Ainda existem três anos de contrato, o que é muita coisa, mas não penso em sair. Quero crescer e evoluir aqui. Não tenho recebido propostas.

E se você saísse, acha que seria mais difícil arrumar espaço em time maior?
Hernanes:
Estou concentrado aqui na Lazio. Quero crescer, quero melhorar e esse é meu objetivo. Nem penso muito em como vai ser sair daqui.

Muitos jogadores importantes têm voltado ou ficado no Brasil. Você pensa em voltar?
Hernanes:
Isso é uma coisa só a longo prazo, nem tenho ideia quando pode acontecer. Não penso a longo prazo. Estou concentrado aqui na Lazio e voltar ao Brasil pode até acontecer, mas daqui a muito tempo e nem penso nisso.

Hernanes classificou como
Reuters
Hernanes classificou como "infelicidade" a expulsão no jogo contra a França
Você foi convocado recentemente para a seleção brasileira. Como acha que está a sua situação no time?
Hernanes:
Eu joguei muito pouco na seleção, tive poucas oportunidades mesmo. Recentemente tive aquela infelicidade ( contra a França ) e só agora estou tendo novas oportunidades. Mas estou pronto para poder jogar e criar uma solidez na seleção. Tomara que dessa vez consiga.

Você acha que pode ser meia da seleção brasileiro, o substituto do Ganso, já que ele tem se contundido com frequência?
Hernanes:
Substituto não. Eu jogo nessa função dele e também posso jogar atrás, voltando. Vou disputar uma vaga ali na frente, mas isso depende do estilo e da estratégia do Mano. Se ele vai jogar com um ou dois meias, com dois ou três atacantes. Isso depende muito.

Veja mais: Mano diz ver Hernanes como meia e minimiza expulsão contra França

Mas hoje você é meia ou volante?
Hernanes:
Estou jogando de meia na Lazio. Embora eu ache que esse negócio de rotular não é comigo. Não sou meia nem sou volante. Eu sou um ser humano. O que você faz no momento não é o que você é. Eu estou nessa função aqui na Lazio, mais ofensiva, mas já fiz a função mais recuada há um tempo atrás.

E nessa função é verdade que você tem a meta de sempre fazer mais gols do que na temporada anterior?
Hernanes:
Existe essa meta. Quero aumentar os gols, assim como assistências. Acho que ter essa meta é importante para mim e para o meu time também.

Recentemente, o Pirlo disse que seu futebol se parece com o dele, principalmente quando ele estava no início de carreira. Você concorda com ele?
Hernanes:
Eu fico feliz com essa comparação com um monstro do futebol, como ele. Mas não tem isso não, cada um tem sua individualidade. É diferente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.