Tamanho do texto

Volante do City sofreu com lesões no time rival e agora jogou a culpa por isso no departamento médico

A culpa de Owen Hargreaves ter ficado praticamente três anos sem jogar é do departamento médico do Manchester United . Essa foi a afirmação do agora volante do City ao jornal britânico "The Guardian", dias depois de ser titular pela primeira vez no time azul e marcar um gol contra o Birmingham.

De 2007 a 2011, o ex-jogador da seleção inglesa entrou em campo apenas 39 vezes, sendo 26 desde o início. Ele foi contratado do Bayern de Munique por R$ 50 milhões e, ao fim de seu contrato, dispensado após receber muitas injeções.

"Eu me sentia feito de vidro e precisava ser uma cobaia para muitos desses tratamentos. Eles disseram que as injeções ajudariam e que eu não teria nenhum efeito colateral. Obviamente, não foi o caso e se eu soubesse que poderia ter uma reação como essa, nunca teria feito. Era uma posição horrível. Eu não sou aqueles caras que fazem cena e reclamam. Eu queria fazer o melhor, mas isso deteriorou toda a temporada. Meu joelho, meu tendão, nunca foram os mesmos", disparou.

Nos últimos três anos, a única vez que Hargreaves amarrou o calção, calçou as chuteiras e foi ao campo aconteceu em novembro de 2010. Apesar de ter dito que estava com problemas musculares, o técnico Alex Ferguson insistiu. Ele jogou apenas seis minutos antes de sair machucado.

"Eu comecei o jogo com duas lesões musculares, mas eu não deveria estar lá, para começar. Eu pensei apenas em tentar suportar os 45 minutos porque seria um começo, mas eu não durei nem cinco. Eu não estava surpreso. Para ser completamente honesto, fiquei surpreso por não ter me machucado no aquecimento. Às vezes, à distância, as pessoas dizem: 'Ele parece feito de vidro'. Mas eu não sei quantos no mundo poderiam ser atletas com apenas dois tendões musculares", acrescentou.

Ferguson comentou as declarações de Hargreaves e informou que o clube vai divulgar uma nota oficial para se posicionar. "Temos um departamento médico fantástico, com grandes cientistas do esporte. Você acha que seríamos tão bem sucedidos se tivéssemos operações que não são feitas de forma 100% brilhante? Meu departamento médico é uma das razões de termos sido tão bem sucedidos nos últimos. Não há dúvida. Essa é minha opinião, e é mais importante do que qualquer um possa dizer sobre isso. Vamos analisar todas essas coisas que ele disse", concluiu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.