Tamanho do texto

Campeão 14 vezes, Uruguai enfrenta o Paraguai em final disputada neste domingo às 16h, em Buenos Aires

Antes de embarcarem para a Argentina, para a disputa da Copa América , todos os 23 jogadores da seleção uruguaia receberam um livro do técnico Oscar Tabárez. A leitura recomendada não se tratava de um guia de comportamento, nem mesmo um livro de regras do futebol. Aos jogadores foi entregue a biografia de Obdulio Varela, capitão do Uruguai na Copa de 1950, responsável por levantar a última taça de Copa do Mundo vencida pelo país.

Mais de sessenta anos separam aquela conquista do time atual, que disputa neste domingo a final da Copa América contra o Paraguai, às 16h, no estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires. “Não é fácil para nós uruguaios nos desprendermos dessa história. Por muito tempo sofremos com essa pressão. Agora temos que desfrutar desse passado e construir uma história também”, analisa Tabárez.

Assim como Tabárez, Gerardo Martino, do Paraguai, está há mais de quatro anos no cargo
Getty Images
Assim como Tabárez, Gerardo Martino, do Paraguai, está há mais de quatro anos no cargo

O time que ele comanda desde 2006 é o que chegou mais perto de igualar as conquistas históricas do bicampeão mundial. Na última Copa, a seleção foi até à semifinais após um hiato de 30 anos. Neste domingo, se vencer, pode se isolar como maior vencedor da Copa América, com 15 títulos, ultrapassando a Argentina com 14. O Brasil venceu 8 vezes o torneio.

Assim como Tabárez, Gerardo Martino, do Paraguai, está há mais de quatro anos no cargo
Getty Images
Assim como Tabárez, Gerardo Martino, do Paraguai, está há mais de quatro anos no cargo
Gigante ressurgindo, o Uruguai enfrenta um Paraguai que se firmou como força sul-americana num passado recente. A equipe conseguiu se classificar para as últimas quatro Copas do Mundo, feito que o rival deste domingo não atingiu. Os uruguaios falharam em 1998 e em 2006. Além disso, os paraguaios contam com o poder político do compatriota Nicolás Leoz, presidente da Conmebol (Confederação Sul-americana de Futebol) desde 1986.

Longo prazo
Com histórias distintas no passado, Uruguai e Paraguai se igualam no presente. Das seleções que disputaram a Copa América são as que têm os técnicos há mais tempo no cargo. Gerardo Martino assumiu em a seleção paraguaia em 2007, enquanto Tabárez já completa cinco anos na equipe celeste.

“O que temos agora é fruto de um projeto que começamos lá em 2006. Estamos orgulhosos por isso. Vamos ver agora se sabemos aproveitar a oportunidade ou não. Já dissemos isso na volta do Mundial. Para mim a recompensa é o caminho e não o destino final”, afirmou o técnico uruguaio.

Gerardo Martino não nega a importância que o jogo terá como fator de análise do seu trabalho. “É a partida mais importante da minha carreira. Nossos jogadores estão bem preparados fisicamente e mentalmente. Agora ser campeão é o único que importa”, afirmou o paraguaio, que não poderá comandar a partida do banco de reservas, pois foi suspenso por dois jogos, após ter sido expulso na semifinal contra a Venezuela.

O técnico à beira do gramados deve ser o único desfalque dos paraguaios. Já o Uruguai não poderá contar com o zagueiro Victorino, que sofreu uma lesão na coxa esquerda.

Assim como Tabárez, Gerardo Martino, do Paraguai, está há mais de quatro anos no cargo
Getty Images
Assim como Tabárez, Gerardo Martino, do Paraguai, está há mais de quatro anos no cargo


FICHA TÉCNICA: URUGUAI X PARAGUAI
Local: Estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires(ARG) 
Data: 24/07/2011 
Horário: 16h (de Brasília) 
Árbitro: Sálvio Spínola (Brasil) Assistentes: Marcio Santiago (Brasil) e Francisco Mondría (Chile)

URUGUAI: Muslera, Maximiliano Pereira, Lugano, Coates, Cáceres; González, Pérez, Arévalo , Álvaro Pereira; Suárez e Forlán Técnico: Oscar Tabárez

PARAGUAI: Villar, Verón, Da Silva, Alcaraz, Piris; Vera, Ortigoza, Riveros, Estigarribia; Haedo Valdez e Barrios  Técnico: Gerardo Martino

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.