Tamanho do texto

Atacante disse que poderia ter se naturalizado português, mas preferiu jogar pela seleção brasileira

O atacante Hulk, convocado por Mano Menezes para a seleção brasileira e titular da equipe na vitória por 2 a 1 sobre o México, em Torreón, na última terça-feira, afirmou, antes do amistoso, que poderia ter defendido as seleções de Portugal e Japão, mas disse que preferiu esperar por uma chance de atuar pelo seu país.

Porém, segundo o ex-técnico de Portugal, Carlos Queiroz, tal possibilidade nunca passou pela sua cabeça. O comandante ainda classificou como um 'boato patético' a recusa do avante do Porto em defender a nação onde atua.

"Isso é absolutamente patético. É um rumor e quem o divulga ainda mais pateta é. (...) Se foi convidado não foi por ninguém da seleção. Por mim não foi, pode ter certeza", comentou, em entrevista à rádio portuguesa 'Antena 1'.

Segundo o jogador, o convite foi feito quando ele se destacou no time portista, só que foi prontamente recusado. Antes, quando jogou no Japão, ele recebeu a mesma sondagem, mas manteve a postura de jogar apenas no time canarinho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.