Tamanho do texto

Meia acredita que o Santos pode vencer o Grêmio sem Neymar, e não faz lobby por Adriano na defesa

O meia Elano minimizou dois problemas constantes do Santos no Campeonato Brasileiro: os gols sofridos e a dependência da equipe em relação a Neymar . O camisa 8 acredita que o time pode vencer o Grêmio nesta quarta-feira, no Olímpico, mesmo com a ausência de seu principal jogador, que está defendendo a seleção brasileira .

“Qual é o time que tem um Neymar hoje? Só o Santos. Com certeza, perdemos muito sem um jogador com essa qualidade, mas temos totais condições de vencer mesmo sem ele”, afirmou Elano, que citou como exemplo o jogo contra o Cerro Porteño pela primeira fase da Libertadores.

Veja também: A classificação do Campeonato Brasileiro

“Mas nós já provamos que podemos vencer sem o Neymar. Teve um jogo da Libertadores que eu, ele e o Zé Love não jogamos. O time superou as dificuldades e venceu lá na casa do adversário. Nós nos classificamos e acabamos sendo campeões. Um time não é feito só de 11 jogadores, mas com um grupo”, completou.

O meia também preferiu não fazer lobby pela retorno de Adriano à equipe titular. Após a saída do volante, o Santos sofreu seis gols em dois jogos – contra Figueirense e Fluminense. Elano acredita que os problemas da defesa não estão relacionados à saída do jogador.

“É complicado falar de jogador A ou B. Todos são jogadores do mesmo nível aqui. O Adriano é importante e mostrou isso na Libertadores. Só que é no coletivo que vamos arrumar nossa defesa”, disse o meia.

Entre para a Torcida Virtual do Santos e comente sobre o desfalque de Neymar

Elano, inclusive, acredita que o técnico Muricy Ramalho não precisa fazer modificações na defesa para corrigir o problema. O meia acredita que a marcação precisa ser corrigida entre os meias e atacantes do time.

“Acho que não adianta reclamar da defesa, mudar o setor. Na minha maneira de ver o problema. O problema começa lá na frente, todos são culpados. Só que aqui as coisas são resolvidas internamente, não adianta falarmos”, concluiu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.