Tamanho do texto

Presidente Paulo Odone admitiu incompetência para reforçar grupo de Renato Gaúcho

Tanto o presidente Paulo Odone quanto o vice de futebol Antônio Vicente Martins assumiram a culpa pela eliminação do Grêmio na Libertadores. Após a derrota para o Universidad Católica , nesta quarta-feira, no Chile, os dirigentes trataram de defender os jogadores e o técnico Renato Gaúcho.

Embora tenham evitado avaliar a qualidade do grupo, os dirigentes lamentaram a perda de Jonas, que se transferiu para o Valencia, e a de Fábio Santos, que se acertou com o Corinthians, e a dificuldade em reforçar o elenco. Odone comentou:

"Não foi falta de condições financeiras. Tivemos, por exemplo, o problema do Jonas que negociou sua saída em sigilo e depois nos deixou mal. Perdemos ele e não tivemos competência para trazer outro. Enquanto tivemos o André Lima fomos bem, mas depois não".

Antônio Vicente Martins disse que o Grêmio será mais forte no Brasileirão. Por enquanto, enfatizou, o momento é de reunir forças para a final do Gauchão contra o Inter.

"Quando se é desclassificado fica fácil dizer que o grupo era insuficiente. Não faremos avaliações do grupo de cabeça quente. É hora de manter a calma, pedir desculpas e admitir que o grupo lutou muito. Mas vamos reforçar o time para o Brasileiro, antes tem a final do Gauchão", analisou o dirigente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.