Tamanho do texto

Longe do estereótipo holandês, Kenneth Vermeer e Jeroen Verhoeven sonham alcançar status de ídolo do ex-goleiro do Palmeiras

Em meio ao mar de holandeses altos e esguios que compõem o elenco do Ajax, dois atletas se destacam: um goleiro "baixinho", longe da média da posição, e outro com uma forma física que lembra Ronaldo “Fenômeno” em fim de carreira. Kenneth Vermeer e Jeroen Verhoeven não se parecem em nada com o estereótipo do holandês de guias de turismo e programas de TV, mas vestem a camisa do time de Amsterdã desde os tempos de juniores. Do Palmeiras , adversário em amistoso neste sábado, aliás, vem uma inspiração para a carreira dos jogadores: Marcos.

Leia também: Técnico do Ajax se diz surpreso com esquema usado por times do Brasil

“O goleiro do penta”. Assim se referiu Vermeer a Marcos , ídolo palmeirense que teve sua aposentadoria anunciada na semana passada. Atleta do Ajax desde 1999, Vermeer se espantou quando soube pelo iG que o “Santo” ficou no Palestra Itália por 20 anos. “Tudo isso? Em apenas um time? Queria eu fazer o mesmo pelo Ajax. Além de um grande goleiro, Marcos é um exemplo de profissional”, elogiou o goleiro de "apenas" 1,82 m. Verhoeven, também cria da base do Ajax, corroborou: “Repetir os feitos dele seria uma honra”, afirmou o grandalhão, com 103 kg não muito bem distribuídos em 1,96 m.

Inspirados por Marcos, Vermeer (esq.) e Verhoeven dizem que adorariam encerrar a carreira no Ajax
Francisco De Laurentiis
Inspirados por Marcos, Vermeer (esq.) e Verhoeven dizem que adorariam encerrar a carreira no Ajax

Titular da equipe alvirrubra, Vermeer é mais um holandês “de colônia” a fazer sucesso no Ajax e no futebol europeu, assim como Clarence Seedorf (do Milan ) e Edgar Davids (ex- Juventus , Internazionale , Milan e outros). Os pais do goleiro saíram de Paramaribo, capital do Suriname (antiga Guiana Holandesa), para tentar a vida na Europa. O filho do casal acabou se destacando nos gramados. “Comecei jogando na linha, até porque sou baixo e habilidoso com os pés. Mas um treinador da base falou que eu levava jeito para o gol, pelos reflexos apurados. Resolvi tentar e hoje estou aí”, disse.

E ainda: Frank de Boer diz conhecer apenas Felipão do Palmeiras

Se  Vermeer não sofre com a desconfiança do torcedor, embora seja menor que a maioria dos goleiros, seu colega Verhoeven não pode dizer o mesmo. Os torcedores do Ajax, devido à forma física do goleiro, deram a ele o apelido de “Pizza”. “Não sou gordo. Sou forte”, respondeu um tanto incomodado o goleiro.

No entanto, Verhoeven diz levar “na boa” as brincadeiras, como o grito dos torcedores toda vez que ele bate um tiro de meta ( confira no vídeo no final da matéria ). Segundo Daan Germans, repórter do site oficial do Ajax, “Pizza” é um xodó dos torcedores devido a seu carisma. Terceiro goleiro da equipe, o atleta não tem muitas oportunidades para entrar em campo, mas seu desempenho no treino da última quinta impressionou os presentes. Mostrando agilidade, ele defendeu boa parte dos chutes na prática de finalizações.

Apesar de todas as diferenças, o falastrão e carismático Vermeer concordou com o travado e desconfiado Verhoeven em uma questão: a paixão pelo Brasil. “O clima aqui é delicioso, lembra o do Suriname. Uma pena que vamos ficar tão pouco tempo, quero voltar para as férias. Primeiro, vou a Paramaribo visitar minha mãe. Depois, venho para cá”, afirmou o titular, seguido pelo reserva: “Está sendo uma experiência fantástica. O sol e o calor cansam no treino, mas queria ficar mais”, disse “Pizza”, que não teve tempo de experimentar o prato em São Paulo.

Veja a torcida do Ajax gritando "Pizza!" quando Verghoeven cobra um tiro de meta:

 null

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.