Tamanho do texto

Dois times duelam na próxima rodada em duelo decisivo contra o rebaixamento no Presidente Vargas

null

Até aqui, o Cruzeiro não conseguiu superar seus adversários diretos na luta contra o rebaixamento na reta final do Brasileirão. No próximo domingo, terá nova oportunidade, já que visita o Ceará e uma derrota pode significar uma tragédia para os cruzeirenses. Por isso, o time mineiro fala em "guerra" na capital cearense.

Cruzeiro é o 16º colocado no Brasileirão. Veja a classificação atualizada

Depois do empate frustrante com o Atlético-PR , em Sete Lagoas, o técnico Vágner Mancini usou vários termos relacionados às batalhas bélicas. "Vamos enfrentar um PV (Presidente Vargas, estádio do Ceará) lotado. Time deles está empolgado pela vitória sobre o Grêmio. Cruzeiro vai para uma guerra emocional. Vamos montar um exército azul para buscar esse resultado", disse o treinador cruzeirense, que já comandou o adversário em 2011.

Veja também: Mancini mantém a confiança após empate frustrante

O treinador mantém a confiança no elenco , mesmo diante de um futebol fraco nas últimas rodadas. "A confiança é total. Só dependemos da gente. Outros dependem de outros. Óbvio que tem que jogar melhor, tem que ser mais constante. Ficamos chateados, pois sabemos que seria importante vencer o Atlético-PR. Mas não eliminaria os dois últimos jogos. Vamos brigar até a última gota de suor e de sangue aqui", afirmou o treinador.

Outro que entrou no clima de "guerra" é o volante Leandro Guerreiro. "Hoje estamos fora da zona (de rebaixamento), dependemos só da gente. Briga direta contra o Ceará, torcida lota o estádio lá. Mas temos que superar tudo isso. Todos se ajudando para buscar o resultado. Vamos lutar até o final para tirar o Cruzeiro dessa situação", concluiu Leandro Guerreiro.

Entre para a torcida virtual do Cruzeiro e comente o clima de "guerra"

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.