Tamanho do texto

Dutos da Transpetro que passam no terreno do Fielzão precisam ser retirados para viabilizar perfurações

O Corinthians ainda não sabe quem pagará a retirada dos dutos da Transpetro que passam no terreno do seu novo estádio e inviabilizam perfurações em determinadas áreas. Segundo o vice-presidente de marketing, Luis Paulo Rosenberg, o time ainda procura o melhor custo beneficio e nao vê problemas em assinar o contrato sem solucionar esse problema.

"Ainda não sabemos quem fará isso. Estamos procurando o melhor custo benefício para que saia barato. E também nao sabemos quem vai pagar esse custo ainda", disse o despreocupado Rosenberg.

Coloque seu time em 1º lugar no ranking da Torcida Virtual do iG Esporte

"Se a Transpetro fala que não vai pagar e a gente não arranjar quem pagar, o Corinthians ou a Odebrecht podem arcar com isso. O custo vai ser pequeno para o tamanho dessa obra", afirmou.

Apesar de não mostrar preocupação com o aspecto financeiro, o dirigente afirma que todo o processo precisará ser feito com muita perfeição para evitar danos ao meio ambiente.

"O conteúdo do duto não é explosivo, mas se vazar pode gerar um grande prejuízo ao meio ambiente, seria um grande problema ambiental. Por isso precisa ser feito da melhor maneira possível", finalizou Rosenberg.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.