Tamanho do texto

Protesto teve início após funcionário ficar ferido com a explosão de um galão de combustível; Emop confirma incidente

Operários que trabalham para o consórcio de empresas que tocam as obras de reforma no Estádio do Maracanã cruzaram os braços nesta quarta-feira (17) depois que um trabalhador precisou ser internado em consequência da explosão de um galão de combustível.

Pela manhã, o ajudante de produção Carlos Felipe da Silva ficou ferido no momento em que cortava o galão, que estava vazio. Mesmo sem líquido dentro, a peça explodiu. O operário foi levado par o Hospital Municipal Souza Aguiar.

Obras no Maracanã foram paralisadas após acidente na tarde desta quarta-feira
Cezar Loureiro/ Agência O Globo
Obras no Maracanã foram paralisadas após acidente na tarde desta quarta-feira
Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, ele sofreu uma fratura no joelho, além de apresentar queimaduras em pelo corpo.

Após o acidente os trabalhadores deram início à paralisação. Eles exigem melhores condições de segurança no canteiro.

A Emop (Empresa de Obras Públicas do Estado) confirma incidente e a paralisação das obras motivadas por reivindicações trabalhistas. Em nota, a assessoria do órgão informa: "Ambos os casos – de segurança do trabalho e de reivindicações trabalhistas – estão sendo analisados pelo consórcio executor das obras. A Emop acompanha a evolução das negociações para reinício dos trabalhos".

O Sindicato da Construção Pesada está no local e acompanha o protesto. A entidade informou que, mesmo vazio, galões de combustíveis não devem ser reutilizados. Sindicalistas da entidade prometeram acompanhar as negociações entre os operários, já que uma reunião de emergência foi marcada nesta própria quarta.

Os trabalhadores do canteiro de obras, no entanto, afirmam que não voltam ao trabalho se suas reivindicações não forem atendidas.

O consórcio Maracanã Rio 2014 é formado pelas empresas Odebrecht, Andrade Gutierrez e Delta. Por meio da assessoria de imprensa, o grupo informou que está aberto ao diálogo e que "dispensou os trabalhadores para facilitar as negociações com seus representantes". Também mencionou que atendeu aos pedidos dos operários no acordo coletivo assinado em abril deste ano.

No texto, o consórcio afirma que prestou atendimento médico ao trabalhador ferido.

"Às 8h30 de hoje (17/08), no canteiro de obras do estádio, o ajudante de produção Carlos Felipe da Silva Pereira sofreu acidente de trabalho e foi imediatamente atendido pela equipe médica, que está constantemente de plantão no empreendimento. Ele teve fratura no joelho. Após os primeiros socorros, foi encaminhado de ambulância para o Hospital Souza Aguiar. O pai do empregado, Carlos Roberto Pereira, que também trabalha na obra, acompanhou todos os cuidados médicos. O diagnostico clínico indica que Carlos Felipe se encontra em recuperação", informou o comunicado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.