Tamanho do texto

Seleção alcançou feito inédito ao chegar à final da Copa do Mundo, mas será que o conto de fadas croata ainda não atingiu seu ponto alto? Analisamos

Jogadores da Croácia comemoram gol
Divulgação/Fifa.com
Jogadores da Croácia comemoram gol

A seleção da Croácia alcançou um feito inédito em sua história na Rússia: os  comandados pelo técnico Zlatko Dalic disputarão a primeira final de Copa do Mundo pela seleção dos Bálcãs, contra a França, no próximo domingo (15). Até então, a melhor participação croata no Mundial datava de 1998, quando a equipe liderada pelo artilheiro Davor Suker alcançou a terceira colocação.

Mas será que a seleção da Croácia efetivamente tem chances de surpreender a favorita França e se sagrar campeã mundial? Listamos abaixo quatro razões para crer que esse sonho é possível, e outras quatro para acreditar que a bonita história dos croatas em 2018 se encerrará com o vice-campeonato.

Leia também: Confira 4 razões para acreditar e 4 para duvidar da França na final da Copa

Divulgação/Fifa.com
"Se vencermos? Acho que ninguém trabalha na Croácia por alguns dias", brincou Zlatko Dalic


Prós:

  • A seleção croata não está na final do torneio mais importante do futebol por acaso. A equipe está invicta na competição e chegou à fase de mata-mata com 100% de aproveitamento após vitórias contra a Nigéria e a Islândia, e um sonoro 3 a 0 sobre a Argentina de Lionel Messi. E ninguém acredita tanto no time como os próprios atletas e comissão técnica. Todos no vestiário têm pregado o discurso de que a equipe é capaz e não deve temer ninguém.
  • Os croatas têm em sua dupla de meio-campistas Rakitic e Modric sua principal arma, mas ela não é a única. Quando os ritmistas da equipe estão muito marcados ou em dia pouco inspirado, a Croácia confia em alguns 'coadjuvantes' que são quase tão importantes quanto as principais estrelas do time. Estão nesse ról o  polivante Perisic e Mandzukic – que, não por acaso, foram os heróis da classificação histórica contra a Inglaterra na semifinal.
  • Não se engane: embora sejam os franceses que estejam encantando com seus ataques rápidos com Griezmann e Mbappé, é a seleção da Croácia quem melhor sabe chegar ao gol adversário. A equipe treinada por Zlatko Dalic tem o segundo melhor ataque da competição, com 12 gols marcados e é a segunda que mais chutou a gol em toda a competição: foram 100 tentativas, apenas três a menos que o Brasil.
  • Na arte de se defender, os croatas também se destacam: a defesa da equipe conseguiu afastar a bola para longe de seu gol nada menos que 272 vezes, seja com roubadas de bola, bloqueios ou rebatidas. Nenhuma outra seleção conseguiu tanto.
Festa da classificação da Croácia para semifinal contou com participação da presidente do país, Kolinda Grabar-Kitarovic
Reprodução/Twitter - @MarioMandzukic9
Festa da classificação da Croácia para semifinal contou com participação da presidente do país, Kolinda Grabar-Kitarovic


Contras:

  • Os croatas estão cansados. A equipe permaneceu em campo 90 minutos (um jogo inteiro) que a mais que os franceses nesta Copa do Mundo, e ainda passaram pelo drama dos pênaltis duas vezes. Não bastasse isso, a seleção croata ainda tem um dia a menos de descanso em relação aos franceses, que jogaram a semifinal na terça-feira (10).
  • É inegável que a França tem mais tradição, mas isso não se trata apenas de uma avaliação subjetiva sobre o 'peso' de cada camisa. Os franceses estão mais acostumados a decisões: essa já é a terceira final de Copa do Mundo da seleção francesa, e praticamente esse mesmo grupo de jogadores esteve em campo na final da última Eurocopa (vencida por Portugal). Já os croatas nunca chegaram à final nem da Copa e nem da Eurocopa. O jogo mais importante da história da seleção dos Bálcãs, inclusive, terminou em derrota para a França, na semifinal da Copa de 1998.
  • Caso o jogo decisivo esteja complicado, o técnico francês olhará para o banco de reservas do Estádio Lujniki e encontrará jogadores como Lemar, Dembélé e Fekir. Já Zlatko Dalic não dispõe de peças de reposição tão boas. Tanto é assim que, na semifinal contra a Inglaterra, apesar de todo o desgaste dos jogadores, a Croácia foi para a prorrogação ainda sem ter feito nenhuma substituição.
  • Pode soar um tanto quanto teoria da conspiração, mas há que se considerar um fato: a anfitriã Rússia não quer ver a seleção da Croácia campeã. Há todo um contexto geopolítico por trás dessa antipatia dos donos da casa, o que foi acentuado após o zagueiro Vida gravar um vídeo exaltando a Ucrânia – país que tem conflito com Moscou devido à anexação da Crimeia ao território russo. Desse modo, a torcida russa estará do lado da França e – batam na madeira – talvez muitos dos organizadores da Copa do Mundo também estarão.

Leia também: Argentino que apitou abertura do Mundial será árbitro da final da Copa do Mundo

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.