Tamanho do texto

Coordenador da CBF concedeu entrevista coletiva na Rússia, falou sobre o camisa 10 da seleção e avisou que ainda não decidiu se continua no cargo

Edu Gaspar, coordenador da seleção brasileira
Mowa Press
Edu Gaspar, coordenador da seleção brasileira

Pouco antes de deixar o hotel da seleção brasileira na cidade de Kazan,  Edu Gaspar, coordenador de seleções da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), concedeu entrevista coletiva para falar sobre o  seu futuro e o do técnico Tite na equipe e aproveitou também para defender Neymar .

E Edu Gaspar enalteceu o camisa 10 do Brasil. "Não é fácil ser Neymar. É difícil estar na pele dele. Meu dia a dia com ele foi espetacular, não estou aqui para defender. Só tenho que elogiar e agradecer esses momentos de Copa do Mundo", comentou o dirigente.

"Chega a dar pena em alguns momentos, porque o que esse menino sofre não é fácil. Mas o contrário também é verdadeiro, porque quando ele vai muito bem, também se enobrece todas as coisas. É um atleta que se dá um sorriso é criticado e elogiado, se não dá uma entrevista é criticado e elogiado, é difícil estar na pele dele em muitos momentos", completou Edu.

Leia também: Veja notas e avaliações dos jogadores do Brasil na eliminação para a Bélgica

O coordenador da CBF também lembrou que Neymar, de 26 anos de idade, passou por cirurgia no pé há alguns meses e seguiu defendendo. "As pessoas esquecem do que o menino passou antes da Copa", disse.

Futuro de Edu Gaspar na seleção

Edu Gaspar
Pedro Martins/MoWa Press
Edu Gaspar

Questionado sobre sua continuidade na seleção brasileira, Edu avisou que vai decidir o que fazer quando chegar ao Brasil - o voo desembarca no Rio de Janeiro por volta das 5h da manhã deste domingo. 

"O passo que temos que dar agora é de estarmos juntos, um ajudar o outro, para que possamos tomar as melhores decisões possíveis", comentou o coordenador de seleções da CBF, ainda na cidade de Kazan, na Rússia.

Leia também: Memes de tristeza: internet lamenta eliminação brasileira na Copa do Mundo

Assim como Edu Gaspar , Tite preferiu deixar o futuro em aberto. "Não falo absolutamente nada a respeito de futuro. Esse é um momento de emoção", afirmou o comandante logo após a derrota por 2 a 1 contra a Bélgica, ainda no estádio em Kazan.

    Leia tudo sobre: Futebol