Tamanho do texto

Caso gerou debate por não ter causado tanta polêmica como quando acontece com jornalistas mulheres

Mais um caso de assédio na Copa, dessa vez com um repórter sul-coreano
Reprodução
Mais um caso de assédio na Copa, dessa vez com um repórter sul-coreano

Em meio a uma onda de agressões de cunho sexual e assédio na Copa do Mundo de 2018, na Rússia, um repórter sul-coreano foi beijado ao vivo por duas mulheres.

Leia também: Barbara Gerneza, jornalista russa, fala sobre assédio de torcedores brasileiros

O novo episódio de assédio na Copa ocorreu no dia 28 de junho, quando Jeon Gwang-ryeol, jornalista da emissora sul-coreana "MBN", foi beijado duas vezes no rosto por fãs russas enquanto estava ao vivo.

No momento da abordagem, o repórter tentou rir, mas pareceu envergonhado após o incidente, que aconteceu dias depois de torcedores do sexo masculino terem sido criticados por beijar repórteres mulheres ao vivo.

Confira no vídeo

O caso gerou um debate na rede social chinesa Weibo, considerada o Twitter do país asiático e onde usuários se perguntavam por que os beijos das mulheres russas não estavam sendo criticados do mesmo jeito que os dos homens.

Leia também: Brasileiros gravam vídeo com ofensas a mulher russa na Copa; assista

"É um contraste muito forte com as notícias anteriores", disse um internauta, relacionando o caso com os diversos episódios de assédio contra mulheres. "Por que isso não é assédio sexual?" perguntou outro, cujo comentário recebeu centenas de curtidas.

Outras pessoas disseram que o incidente mostra as desigualdades entre os sexos. Apesar de o beijo ter virado polêmica na China, o caso não chamou muita atenção no país natal do repórter, já que somente a "MBN" repercutiu o acontecido. Porém o beijo foi discutido por alguns sul-coreanos no Twitter.

Leia também: Avião da delegação da Arábia Saudita pega fogo durante viagem

"Independentemente do seu sexo, você é assediado sexualmente. Um jornalista da MBN foi à Rússia para cobrir a Copa do Mundo e foi sexualmente assediado por duas mulheres", escreveu um usuário.

Caso com brasileiros

Brasileiros ofendem mulher russa
Reprodução/Youtube
Brasileiros ofendem mulher russa

Nos últimos meses, casos desse tipo vêm sendo amplamente debatidos no Weibo, com muitas pessoas acusando as autoridades de não levarem a sério os incidentes. O caso de assédio na Copa mais notório é o do grupo de brasileiros que cercou uma jovem e a fez repetir frases que remetiam a seu órgão sexual, sem que ela soubesse seu real significado.

    Leia tudo sobre: Futebol