Tamanho do texto

Para quem você torceria se sua seleção fosse eliminada antecipadamente da Copa? Segundo resultado da enquete do Olé, argentinos apoiam o Brasil

Lionel Messi e seus companheiros argentinos deram adeus à Copa do Mundo de 2018
FIFA/ Divulgação
Lionel Messi e seus companheiros argentinos deram adeus à Copa do Mundo de 2018

A Argentina deu adeus à Copa do Mundo de 2018 depois de ter sido eliminada nas oitavas de final pela França. Enquanto o sonho do tricampeonato se distanciou, o diário Olé criou uma enquete para descobrir para qual seleção ainda presente na competição está a torcida do país. No entanto, a votação chegou até as páginas da internet dos brasileiros, que provocaram mudanças inesperadas.

Leia também: Argentina sonha com a saída de Sampaoli, mas multa milionária o protege

Caso a seleção comandada por Tite fosse eliminada, você torceria para a Argentina? Acredito que não, mas para a surpresa de todos, o Brasil era a seleção mais votada no Olé . Os brasileiros conseguiram fazer com que o resultado da enquete desse mais de 80% dos votos, deixando para trás Uruguai, França, Colômbia, Bélgica e outros.

Leia também: Jogão França x Argentina enlouquece as redes sociais e gera memes; confira

A publicação '¿Ahora por quién hinchamos?' (Agora, para quem torcemos?, com tradução livre para o português), se tornou viral no Brasil . Grupos de WhatsApp e redes sociais como Twitter e Facebook tiveram centenas de campanhas para que os internautas votassem na seleção brasileira .

Leia também: Maradona vê Brasil favorito ao título da Copa e manda recado para Neymar

Jornal argentino não deixa barato e esclarece situação

Graças aos brasileiros, Brasil lidera enquete do jornal argentino Olé
Reprodução
Graças aos brasileiros, Brasil lidera enquete do jornal argentino Olé

No entanto, é óbvio que os hermanos não gostaram nada do resultado, que mostrava que argentinos apoiariam brasileiros no restante da Copa do Mundo. Assim sendo, o próprio diário publicou uma outra matéria na qual explica "aos vizinhos que eles não são os nossos favoritos!". A nova publicação afirma que de início, o Uruguai vinha liderando os votos com cerca de 35% e a Colômbia na segunda colocação com 15%. Assim, tenta justificar que o resultado teria sido manipulado pelos brasileiros, que provocaram o inédito e improvável.