Tamanho do texto

Camisa 10 foi o melhor em campo na vitória da seleção brasileira sobre a mexicana por 2 a 0, que garantiu uma vaga nas quartas de final da Copa

O Brasil derrotou o México nesta segunda-feira, por 2 a 0 , em Samara, e se classificou para as quartas de final da Copa do Mundo . Os gols foram marcados por Neymar, eleito melhor em campo, e Roberto Firmino. E justamente pela ótima atuação, o camisa 10 foi o escolhido para conceder entrevista coletiva ao lado de Tite e de Sylvinho após a partida. De cara, ele precisou responder sobre as críticas que tem recebido.

Leia também: Memes de Brasil x México "entopem" a internet após classificação; veja melhores

Neymar marcou o primeiro gol do Brasil diante do México, o sexto dele em Copas
Pedro Martins / MoWA Press
Neymar marcou o primeiro gol do Brasil diante do México, o sexto dele em Copas

"Eu acho que é para tentar minar do que qualquer outra coisa. Eu não ligo muito para críticas, às vezes nem mesmo para o elogio. Isso pode influenciar a cabeça do atleta. Esses últimos dois jogos eu não falei com a imprensa porque eu não queria polêmica, tem muita gente falando, uns se alteram, não sei se querem aparecer", afirmou Neymar .

"Eu só tenho que jogar futebol, ajudar minha equipe, eu vim para ganhar, não para outra coisa. Espero poder melhorar cada vez mais, sabia que precisaria de ritmo para voltar ao meu nível normal. Hoje já me sinto muito melhor, estou muito feliz pela partida de hoje, parabenizo toda a equipe pelo trabalho, esforço, estamos melhorando cada vez mais", acrescentou.

Na sequência, Tite foi quem respondeu sobre o principal jogador da seleção, que em certo momento levou um pisão de Miguel Layún no tornozelo direito, o qual ele já sentiu desconforto nesta Copa, quando a bola já estava parada. Na ocasião, o árbitro não deu sequer cartão amarelo para o mexicano.

"Neymar joga bola. Não pisa, e pisaram nele. Eu estava do lado, e vi de novo pela televisão. Não precisa falar, é só olhar. Ele tem que jogar bola, eu falo, a direção fala, o árbitro apita. Cada um faz a sua e vamos embora", ponderou Tite, que na sequência falou sobre o técnico do México, Juan Carlos Osorio, que criticou a arbitragem da partida e também o craque brasileiro.

"Eu não vou responder ao Osorio, eu vi o lance. Todos que estão me assistindo tirem sua conclusão, o vídeo está aí. Imagem não questionamos. Um grande jogo, a característica do jogo se impõe, jogo lá e cá, equilíbrio e possibilidades de conclusão. Campo comprido com ataque e contra-ataque. É nossa característica e do México, um elogio ao trabalho do Osorio, um baita trabalho de um baita profissional", disse Tite.

"Por vezes faz um comentário no calor do jogo, é natural, temos que relativizar e contextualizar. Um grande jogo, oportunidades criadas. Ochoa fez um baita jogo. Numa delas eu já estava vibrando, Paulo (Paulinho) finalizou, ele tirou e eu disse 'não é possível'. Jogo emocionante, qualidade das equipes, transições, foram muito melhores e mais bonitos para falarmos e enaltecer", continuou o comandante brasileiro.

Leia também: Brasileiros bombardeiam redes sociais de mexicano que deu pisão em Neymar

Tite apreensivo durante a partida contra o México
LUCAS FIGUEIREDO/CBF
Tite apreensivo durante a partida contra o México

Mesmo dizendo que preferia falar sobre o jogo em si e não sobre situações específicas, o técnico da seleção precisou responder novamente sobre Neymar. Ele elogiou a evolução do camisa 10, que no início da Copa ainda sofria para ganhar ritmo de jogo após ficar parado por conta de lesão no pé direito.

"Neymar está melhorando nesse aspecto. Tem que ficar focado. Quando gastamos energia em outras situações que não seja jogar, perde o foco. Ele gosta de jogar, gosta do drible, às vezes tem incompreensão dos adversários porque é muito ágil, rápido. É pecado driblar no último terço? Buscar jogada individual? O técnico busca isso. Ao mesmo tempo procuram tirar foco dele, por isso eu disse que nós falamos de arbitragem, para outros técnicos. A responsabilidade dele é jogar, felizmente ele está entendendo e acatando", comentou o treinador e completou.

"Vou passar uma informação: Neymar ficou três meses e meio sem jogar uma partida. Alto nível, isso é muito. Outra: a crônica brasileira vinha acompanhando e dizíamos que um atleta de alto nível precisaria de quatro ou cinco jogos. No jogo anterior a esse ele jogou muito, e repetiu o padrão de atuação pelo jogador de excelência que ele é".

O comandante, por fim, falou da partida da seleção, que apresentou seu melhor futebol até aqui, principalmente nos 45 minutos finais.

"O nível que atingimos é para quartas de final, equipe tem que consolidar e crescer. Não me atenho a favoritismos, essa mesma equipe que vencemos hoje venceu, e bem, a Alemanha. Venceu, e bem, a Coreia. E estava melhor até tomar o gol da Suécia. Ela finaliza muito, puxa contra-ataque, tem a média mais alta de finalizações que dá ao adversário, mas fica jogo lá e cá. Rússia jogando bem ontem. Controlando a Espanha, não passando por maiores adversidades, perigos, e passou com méritos. Está muito aberto", finalizou.

Leia também: Veja as notas e avaliações dos jogadores do Brasil na vitória sobre o México

Números de Neymar

Neymar foi escolhido o melhor em campo na vitória do Brasil sobre o México por 2 a 0
Divulgação
Neymar foi escolhido o melhor em campo na vitória do Brasil sobre o México por 2 a 0

Quando Tite diz que Neymar evoluiu e o elogia, o treinador está certo. Nesta Copa, o camisa 10 lidera, entre todos os jogadores, em finalizações, finalizações certas, chances criadas, disputa no 1 contra 1 e em faltas sofridas. Além disso, ele chegou ao sexto gols em Mundiais, empatando com Messi e ficando a um de Cristiano Ronaldo, mas com apenas duas participações.

Para ti toda honra e toda Glória Deus 🙌🏽🙏🏽

Uma publicação compartilhada por Nj 🇧🇷 👻 neymarjr (@neymarjr) em