Tamanho do texto

Italiano Paolo Valeri, que foi líder da arbitragem de vídeo no polêmico jogo entre Brasil e Suíça, estará na equipe do VAR na partida decisiva desta tarde

Novidade desta Copa do Mundo, árbitro de vídeo (VAR) não foi utilizado na estreia do Brasil, contra a Suíça
FIFA/ Divulgação
Novidade desta Copa do Mundo, árbitro de vídeo (VAR) não foi utilizado na estreia do Brasil, contra a Suíça

O italiano Paolo Valeri, que foi líder da equipe de arbitragem de vídeo na estreia da seleção brasileira na Copa do Mundo, no empate contra a Suíça, atuará mais uma vez no VAR de uma partida do Brasil nesta quarta-feira (27).

Desta vez, Valeri será um dos três árbitros que irão auxiliar o também italiano Massimiliano Irrati no VAR durante a decisiva partida entre Brasil e Sérvia, a partir das 15h, em Moscou . O árbitro principal do jogo será o iraniano Alireza Faghani.

Os brasileiros não têm boa lembrança de Valeri. Na estreia contra a Suíça, a comissão técnica saiu na bronca com a arbitragem por suposta falta de Zuber e Miranda no lance do gol de empate suíço. Também houve reclamação por um suposto pênalti em cima de Gabriel Jesus no segundo tempo da partida. Nenhum dos dois lances foi revisado pela arbitragem de vídeo durante a partida.

Bronca da CBF com o VAR

O não uso do assistente de vídeo levou a  Confederação Brasileira de Futebol (CBF) a enviar um ofício  à Comissão de Arbitragem da Fifa para pedir esclarecimentos sobre o protocolo adotado em lances controversos na Copa do Mundo.

A Fifa respondeu alegando que o VAR tem como objetivo prevenir "erros claros e óbvios" e "sérios incidentes" que passem despercebidos. Os demais casos ficam sujeitos à exclusiva atuação do árbitro de campo, conforme explicara o chefe da Comissão de Arbitragem, o ex-árbitro Pierluigi Collina, e o secretário-geral adjunto para futebol, Zvonimir Boban.

“Como tem sido repetidamente comunicado, a pergunta que a equipe do VAR deve fazer a si mesma quando o árbitro toma uma decisão durante uma partida não é 'a decisão do árbitro foi correta?'. Eles devem se perguntar se 'a decisão do árbitro foi clara e obviamente errada?', pois a interpretação do árbitro em todas as demais situações é e permanece a única relevante quando uma decisão é tomada”, respondeu a Fifa. 

Leia também: 'Canarinho pistola' da CBF vira coxinha recheada com frango e 'catupiródio'

    Leia tudo sobre: futebol