Tamanho do texto

Europeus protagonizaram primeiro duelo sem gols após 36 partidas no Mundial; Peru se despediu da Copa com vitória por 2 a 0 sobre a Austrália

Dinamarca e França protagonizaram o primeiro 0 a 0 da Copa do Mundo 2018
Reprodução
Dinamarca e França protagonizaram o primeiro 0 a 0 da Copa do Mundo 2018

Mais de a metade da Copa do Mundo se passou, mas enfim saiu o primeiro 0 a 0 do Mundial. O duelo sem gols foi protagonizado nesta terça-feira (26) pelas seleções de França e Dinamarca, que garantiram, com esse resultado, a classificação para as oitavas de final do torneio.

Leia também: Herói improvável: goleiro que parou CR7 já foi até gari e chegou a dormir na rua

Enquanto franceses e dinamarqueses duelavam em Moscou, as seleções de Peru e da Austrália faziam em Sóchi a despedida das duas equipes da Copa do Mundo, no outro jogo válido pelo Grupo C. Com gols de Carrillo e Guerrero, os sul-americanos venceram os australianos por 2 a 0 e permitiram que a torcida peruana comemorasse uma vitória em Mundial após 32 anos.

França e Dinamarca conhecerão seus adversários nas oitavas de final da Copa do Mundo ainda nesta terça-feira (26). Os rivais de franceses e dinamarqueses sairão do Grupo D, onde a Croácia já está classificada e Argentina, Nigéria e Islândia brigam pela outra vaga .

França e Dinamarca fazem 'jogo de comadres'

França e Dinamarca se enfrentaram no Estádio Lujniki, em Moscou
FIFA/ Divulgação
França e Dinamarca se enfrentaram no Estádio Lujniki, em Moscou

Com a classificação assegurada com antecedência, o técnico francês Didier Deschamps decidiu dar descanso a alguns de seus principais jogadores e dar oportunidade a outros atletas que não foram titulares nos jogos anteriores. Lloris, Umtiti, Pogba, e Mbappé ficaram apenas no banco de reservas para as entradas de Mandanda, Kimpembe, N'Zonzi e Lemar.

Os dinamarqueses foram a jogo com força máxima, mas apenas na escalação. Dentro de campo, as duas seleções fizeram uma partida morna, sem grandes iniciativas dos dois lados.

As melhores chances a favor da França criadas na primeira etapa caíram nos pés de Giroud, mas o atacante do Chelsea não aproveitou: primeiro, aos 14 minutos, o camisa 9 recebeu passe de Henandéz dentro da área e bateu meio sem jeito para boa defesa de Schmeichel. Já aos 43 minutos, o atacante recebeu toque de Griezmann, mas finalizou para fora. 

Pelo lado da Dinamarca, apenas uma chegada levou perigo ao gol francês na primeira etapa, em enfiada de bola para Eriksen que foi interceptada antes do arremate em boa saída do goleiro Mandanda.

Os dinamarqueses voltaram para a etapa final demonstrando mais apetite que os adversários, e chegaram a ameaçar a meta de Mandada duas vezes nos primeiros 15 minutos do segundo tempo. No melhor desses lances, Eriksen – sempre ele – pegou sobra de bola na entrada da área e bateu firme à direita do gol.

Mas o que parecia ser o princípio de um incêndio era só fumaça. O jogo logo voltou ao ritmo de treino e os torcedores só voltaram a se levantar no Estádio Lujniki aos 35 minutos, em chute de fora da área de Fekir que foi espalmado por Schmeichel.

Mbappé ainda entrou em campo tentando mudar a história do confronto, mas, sozinho, não conseguiu tirar o 0 a 0 do placar. Foi a primeira partida sem gols após 36 jogos disputados no Mundial da Rússia.

Leia também: Tite anuncia Miranda como capitão e manutenção do time contra Sérvia

Guerrero desencanta e Peru se despede da Copa com vitória

Paolo Guerrero marcou pelo Peru contra Austrália
FIFA/ Divulgação
Paolo Guerrero marcou pelo Peru contra Austrália

Se no jogo entre os europeus do Grupo D as duas seleções não tinham muita gana, na partida entre Peru e Austrália havia combustível de sobra para as equipes buscarem a vitória. Os australianos poderiam beliscar uma vaga em caso de vitória, enquanto os sul-americanos não queriam deixar a Rússia sem marcar ao menos um gol.

E não tardou muito para essa carência de gols ser extinta. Aos 18 minutos, Guerrero recebeu dentro da área e inverteu para Carrillo, que acertou um lindo chute cruzado de primeira para anotar o primeiro gol do Peru em Copas do Mundo desde o marcado por Guillermo La Rosa contra a Polônia, no Mundial de 1982. Passaram-se 36 anos e 4 dias para para a torcida peruana voltar a comemorar um gol em Copas do Mundo.

O Peru lutava muito para impedir as chegadas da Austrália, que tinha no habilidoso Rogic sua principal arma ofensiva. O camisa 23 australiano quase marcou um golaço ainda no primeiro tempo, após invadir a área driblando três adversários e finalizar para boa defesa de Gallese.

O sufoco peruano foi aliviado no início do segundo tempo. Aos 4 minutos, Guerrero recebeu passe de Cueva dentro da área e girou rápido para marcar o segundo gol dos sul-americanos. Foi o gol da redenção do centroavante que quase ficou de fora do Mundial devido a uma punição por doping.

A Austrália tentou responder rapidamente, mas parou em defesas do goleiro Gallese e em uma muralha de defensores peruanos, aos 6 e aos 13 minutos da etapa final. Para aumentar o poder de fogo de sua equipe, o técnico Bert van Marwijk decidiu mandar a campo o veterano Tim Cahill, que poderia se tornar o quinto jogador a marcar gols em quatro edições diferentes da Copa do Mundo. Não se tornou.

A Copa do Mundo terminou com vitória peruana em Sóchi e empate sem gols em Moscou. A classificação final do Grupo C ficou com a França em primeiro, com 7 pontos, a Dinamarca em segundo, com 5 pontos, o Peru em terceiro, com 3 pontos, e a Austrália em último, com apenas 1 ponto.

    Leia tudo sobre: futebol