Tamanho do texto

Sul-americanos mantiveram os 100% de aproveitamento ao fazer 3 a 0 nos anfitriões da Copa; Nas oitavas, uruguaios pegam 2º colocado do Grupo B

Luis Suárez abriu o placar para o Uruguai contra a Rússia
FIFA/ Divulgação
Luis Suárez abriu o placar para o Uruguai contra a Rússia

A seleção do Uruguai venceu, com autoridade, a anfitriã Rússia nesta segunda-feira (25) e assegurou para si os 100% de aproveitamento e a liderança do Grupo A da Copa do Mundo. Os russos, que jogaram com um a menos durante mais de a metade do jogo, ficaram com a segunda vaga desse grupo apesar da derrota por 3 a 0. Os gols da partida foram marcados por Suárez, Cheryshev (contra), e Cavani.

Leia também: Portugal, Espanha e Irã lutam por duas vagas no Grupo B da Copa do Mundo

Já o jogo disputado entre as já eliminadas seleções da Arábia Saudita e Egito terminou com vitória saudita, de virada, por 2 a 1. A Arábia Saudita não vencia um jogo de Copa do Mundo há 24 anos, e o gol da vitória saiu no último lance do jogo, já aos 50 minutos do segundo tempo. O craque egípcio, Mohamed Salah, foi o autor do gol de sua equipe nessa partida, que também foi marcada por um pênalti defendido pelo goleiro El Hadari – que tornou-se o jogador mais velho a disputar um jogo de Copa do Mundo, aos 45 anos, 5 meses e 10 dias de idade.

Os adversários de Uruguai e Rússia nas oitavas de final da Copa do Mundo serão conhecidos ainda nesta segunda-feira (25), a partir das 15h. Portugal e Irã disputam uma vaga no Grupo B na Arena Mordovia, em Saransk. Já a Espanha enfrenta a já eliminada seleção do Marrocos buscando sua classificação, em Kaliningrado.

Leia também: Lesão na coxa pode tirar Douglas Costa da Copa do Mundo

Uruguai conta com Suárez e Cavani para superar a Rússia

Torcida uruguaia levou imagem de Luis Suárez para a arquibancada da Arena Samara
Divulgação/Fifa.com
Torcida uruguaia levou imagem de Luis Suárez para a arquibancada da Arena Samara

O confronto para definir a liderança do Grupo A começou brigado no meio de campo, com os russos mostrando o porquê de a seleção da casa possuir os seis jogadores que percorreram as maiores distâncias entre todos os atletas que entraram em campo nas duas primeiras rodadas da Copa – conforme os dados da Fifa. 

Mas esse equilíbrio durou pouco tempo. Aos 9 minutos, Suárez puxou contra-ataque pelo lado esquerdo e Bentancur sofreu falta ao receber a um passo da entrada da área. Suárez bateu forte e rasteiro, no canto do goleiro, para abrir o placar e anotar seu segundo gol no Mundial.

Os russos tentaram responder rapidamente, em batida de dentro da área de Cheryshev para defesa de Muslera. Mas a 'reação' parou por aí, já que os uruguaios ampliaram o marcador logo aos 22 minutos, em chute de fora da área de Laxalt que desviou em Cheryshev e tirou as chances de defesa do goleiro Akinfeev.

A vantagem por dois gols deixou os sul-americanos confortáveis na partida, ainda mais quando, aos 35 minutos, Smolinkov recebeu o segundo cartão amarelo  e foi expulso. O lateral havia sido escalado para dar descanso ao brasileiro naturalizado russo Mário Fernandes, mas, após a expulsão, o técnico Cherchesov decidiu mandar o titular a campo no lugar do atacante Cheryshev.

Mesmo com a ausência de seu artilheiro em campo, com a desvantagem no placar e com um a menos, os russos não se entregaram no segundo tempo. Dzyubia inclusive teve boa chance de diminuir o placar aos 25 minutos, mas errou o alvo após saída errada do goleiro Muslera.

As duas seleções voltaram a buscar o gol nos dez minutos finais, quando teve início um festival de boas chances desperdiçadas. Numa dessas, o cruzeirense De Arrascaeta quase marcou um gol olímpico, mas Akinfeev evitou.

O goleiro russo voltou a aparecer bem em dois lances: primeiro, em chute de fora da área de Cristian Rodríguez. O lance rendeu escanteio e Godín conseguiu o cabeceio para mais uma grande defesa de Akinfeev. No rebote, no entanto, Cavani conseguiu fazer seu primeiro gol nesta Copa do Mundo e dar números finais à partida.

Leia também: Homem que assediou repórter do iG pode ser exonerado e já foi réu por fraude

Salah marca, mas Egito leva virada da Arábia Saudita no último lance do jogo

Salem deu a vitória à Arábia Saudita sobre o Egito já aos 50 minutos do segundo tempo
Divulgação/Fifa.com
Salem deu a vitória à Arábia Saudita sobre o Egito já aos 50 minutos do segundo tempo

As seleções da Arábia Saudita e Egito chegaram à rodada de encerramento da fase de grupo desclassificadas, fato que deixou o jogo menos disputado que aquele protagonizado por uruguaios e russos. Os sauditas reproduziram o jogo de posse de bola no campo ofensivo que haviam feito na derrota para o Uruguai na rodada passada, enquanto os egípcios apostavam na velocidade e categoria de Mohamed Salah nos contra-ataques.

Foi assim que o craque da seleção do Egito abriu o placar, aos 21 minutos. Salah recebeu ótimo lançamento de El Said aos 21 minutos e, entre os zagueiros, conseguiu dominar e bater com muita categoria por cima do goleiro saudita.

O gol deu mais tranquilidade para os egípcios construírem seus contra-ataques e Trezeguet perdeu duas chances seguidas ao tentar bater colocado no ângulo esquerdo de Al Mosailen. Na primeira dessas oportunidades, o atacante egípcio recebeu belíssimo passe de Salah dentro da área, mas quis fazer o golaço batendo de primeira em vez de dominar para finalizar com mais segurança.

El Hadary tornou-se o jogador mais velho a disputar uma partida de Copa do Mundo, aos 45 anos e 5 meses de idade
Divulgação/Fifa.com
El Hadary tornou-se o jogador mais velho a disputar uma partida de Copa do Mundo, aos 45 anos e 5 meses de idade

As falhas de Trezeguet no ataque quase custaram caro aos egípcios aos 39 minutos da primeira etapa, quando o juiz colombiano Wilmar Roldán marcou pênalti para a Arábia Saudita após a bola bater no braço de Fathy dentro da área. Fahad bateu no canto direito, mas o goleiro Essam El Hadary fez grande defesa, espalmando a bola no travessão. Mais um grande feito para El Hadary, que tornou-se nessa partida o jogador mais velho a disputar uma Copa do Mundo, aos 45 anos, 5 meses e 10 dias de idade.

Mas se Fahad falhou nesse pênalti, Salman não desperdiçou sua chance. Já nos acréscimos, o próprio Fahad se enroscou com o zagueiro Ali Gabr dentro da área, em lance controverso. O árbitro marcou o pênalti e foi conferir no assistente de vídeo. Wilmar Roldán analisou o lance várias vezes até confirmar a penalidade, que foi convertida por Salman para empatar o jogo no último lance da primeira etapa.

As duas equipes voltaram do intervalo dispostas a desempatar a partida, mas desperdiçaram uma boa chance cada logo nos primeiros minutos da etapa final. Aos 24 minutos, El Hadary fez duas ótimas defesas em sequência, primeiro em cabeceio de Hossaim e depois em testada firme de Asiri – que entrou na segunda etapa.

Quando tudo levava a crer que o jogo terminaria em empate, Salem recebeu passe dentro da área no último lance da partida, já aos 50 minutos do segundo tempo e bateu cruzado para dar a vitória aos sauditas. A seleção, que antes havia sido goleada pelos russos e derrotada por 1 a 0 pelo Uruguai , não vencia um jogo de Copa do Mundo desde 1994.

Salah abriu o placar para o Egito contra a Arábia Saudita
FIFA/ Divulgação
Salah abriu o placar para o Egito contra a Arábia Saudita


    Leia tudo sobre: futebol