Tamanho do texto

A preocupação do governo russo era quanto aos locais, no entanto, os torcedores estrangeiros vêm dando trabalho com atitudes irracionais

Na Rússia, brasileiros ofenderam mulher local e acontecimento virou caso na Justiça
Reprodução/Youtube
Na Rússia, brasileiros ofenderam mulher local e acontecimento virou caso na Justiça

Antes do início da Copa do Mundo, havia muita preocupação quanto a possíveis comportamentos racistas e homofóbicos da torcida russa. No entanto, até aqui, é o machismo e o assédio sexual que têm aparecido com mais frequência entre os fãs, principalmente por parte de estrangeiros.

Leia também: 30 minutos em campo rende 300 mil seguidores a jogador bonitão da Islândia

O caso mais notório é o do grupo de brasileiros que cercou uma jovem e a fez repetir frases que remetiam a seu órgão sexual, sem que ela soubesse seu real significado. Três torcedores já foram denunciados e podem responder criminalmente na Rússia . Em um outro episódio, uma jornalista da agência alemã Deutsche Welle , Julieth González Therán, foi beijada à força e apalpada no seio enquanto fazia uma transmissão sobre a abertura da Copa do Mundo. O agressor não foi identificado.

Leia também: Capitão mexicano, Rafa Márquez é obrigado a ficar 'escondido' na Copa do Mundo

Além disso, nesta última quarta-feira (20), um funcionário brasileiro da companhia aérea Latam, Felipe Wilson, foi demitido após ter feito um vídeo pedindo para mulheres repetirem a frase "eu quero dar a b... para vocês". Práticas semelhantes foram adotadas por torcedores colombianos e argentinos, provocando até uma manifestação de repúdio do Ministério de Relações Exteriores de Bogotá. "Convidamos os compatriotas que levam a camisa tricolor e representam milhares de colombianos no Mundial da Rússia a fomentar o respeito e rechaçamos os maus comportamentos", disse a pasta.

Ainda assim, os problemas não ficam circunscritos ao machismo. Em outro caso que envolve brasileiros, um torcedor canarinho gravou um vídeo que mostra um menino dizendo frases como "Eu dou para o Neymar" e "Eu sou um filho da p...".

Leia também: As pinturas de rua russas em homenagem à Copa são bem diferentes das brasileiras

Argentina pede punição de torcedor

Torcedor da Argentina, Néstor Fernando Penovi não poderá assistir às partidas da Copa nos estádios
Reprodução
Torcedor da Argentina, Néstor Fernando Penovi não poderá assistir às partidas da Copa nos estádios

Um torcedor da Argentina foi punido depois de ter publicado vídeo no qual aparece falando palavras obscenas à uma jovem menor de idade da Rússia . Por pedido do diretor de segurança de eventos futebolísticos da Argentina, Guillermo Madero, o homem identificado como Néstor Fernando Penovi, de 47 anos de idade, está proibido de entrar nos estádios durante a Copa do Mundo de 2018.