Tamanho do texto

Retorno peruano ao Mundial após 36 anos foi encerrado de maneira precoce; "Dói muito", afirmou Gareca, que não quer deixar a Rússia sem marcar gols

Atacante Paolo Guerrero e outros jogadores do Peru deixaram o campo chorando após eliminação
Reprodução/Fifa TV
Atacante Paolo Guerrero e outros jogadores do Peru deixaram o campo chorando após eliminação

O atacante Paolo Guerrero, de 34 anos de idade, travou uma longa batalha jurídica para conseguir disputar a Copa do Mundo com a seleção do Peru. Mas o sonho dos sul-americanos em seu retorno ao Mundial após 36 anos de espera foi encerrado de forma precoce, já que a  derrota nesta quinta-feira (21) para a França determinou a eliminação peruana.

Paolo Guerrero e vários outros jogadores deixaram o campo da Arena Ecaterimburgo chorando após a segunda derrota da equipe no Mundial e até mesmo jogadores da França ajudaram a consolar os peruanos.

"Dói perder assim", afirmou o goleiro Gallese depois da partida. O jogador também exaltou os torcedores peruanos, que compareceram em grande número aos jogos na Rússia. "Somos muito gratos pelo apoio recebido da torcida aqui na Rússia. Deixamos tudod e nós em campo contra dois fortes oponentes. Mas isso não acaba aqui. Vamos fechar a Copa do Mundo com a mesma atitude", garantiu.

Leia também: Classificada às oitavas, França espera repetir boas campanhas em Copas na Europa

Peru ainda não marcou gols

A imprensa e torcedores peruanos reconheceram o esforço de seus atletas, e não se vê na internet mensagens de insatisfação por parte dos jogadores. "Nos dói muito ser eliminados e perder a chance de oferecer um torneio melhor aos nossos torcedores. Vamos nos esforçar na última partida para que eles possam comemorar um gol", declarou o técnico Ricardo Gareca, lembrando que o Peru ainda não marcou nesta Copa do Mundo.

A equipe de Paolo Guerrero , Gallese e Gareca volta a entrar em campo às 11h da próxima segunda-feira (25), contra a seleção da Austrália. Os australianos ainda têm a chance de se classificarem para as oitavas de final, desde que vençam os peruanos e a Dinamarca não supere a França na rodada final. 

Leia também: Torcedor argentino é proibido de entrar em estádios russos por conta de assédio