Tamanho do texto

De acordo com Celia Cuccittini, o craque recebe todo o apoio da família; veja

A seleção da Argentina entra em campo nesta quinta-feira (21) para enfrentar a Croácia depois de tropeçar na estreia ao empatar em 1 a 1 com a Islândia. Com isso, a equipe de Jorge Sampaoli chega para duelo ainda mais pressionado e, por falar em pressão, Messi, o principal nome dos hermanos, também busca responder os críticios que o coram bons resultados dele.

Leia também: Messi lamenta erro pela Argentina contra Islândia: "Dói perder o pênalti"

Mãe de Messi revela choro de Messi com pressão
Reprodução/Twitter
Mãe de Messi revela choro de Messi com pressão


O problema é que essa cobrança acaba abalando Messi em alguns momento de acordo com sua mãe, Celia Cuccittini. "A família está apoiando. O primeiro que quer ganhar é ele, trazer a Copa. Sofremos com as críticas, dizem que ele não sente e que vem (para a seleção) por obrigação, mas não é verdade. Se eles verem (Messi) como nós vemos, sofrendo e chorando todas essas vezes. Estas críticas machucam ele, nos machucam", disse à emissora argentina El Trece .

Leia também: Após show de CR7, Messi estreia na Copa em jogo da Argentina contra a Islândia

Ainda de acordo com a mãe do craque, conquistar títulos com a Argentina é o maior sonho da carreira de Lionekl Messi, um dos maiores jogadores da história do futebol argentino.

"Na realidade as pessoas gostam muito dele e transmitem o melhor. Ele valoriza muito. Leo vê com muita expectativa (a Copa), porque seu sonho é ganhar o Mundial, é o que ele mais quer".

Mudança na Argentina

Messi em ação pela Argentina contra a Islândia na Copa do Mundo
FIFA/ Divulgação
Messi em ação pela Argentina contra a Islândia na Copa do Mundo


A estreia da seleção da Argentina na Copa do Mundo não foi do jeito que os hermanos esperavam. Após ficar apenas no empate em 1 a 1 com a seleção da Islândia, o técnico Jorge Sampaoli começou a ensaiar uma revolução na equipe titular para o próximo confronto, contra a Croácia, na quinta-feira (21).

A Argentina treinou com três nomes diferentes na equipe que saiu jogando contra a Islândia no fim de semana. Sampaoli trocou a formação da equipe do 4-2-3-1 para o 3-5-2, colocando o lateral Gabriel Mercado na vaga de Rojo na defesa.

Leia também: Sampaoli muda Argentina após tropeço e barra Di María para dar vaga a promessa

No meio de campo, Acuña ganhou a vaga do experiente Biglia, mas a mudança de maior impacto ocorreu no ataque: o consagrado Di María foi tirado da equipe titular para dar lugar ao jovem Cristian Pavón, de 22 anos de idade. Messi permaneceu.



    Leia tudo sobre: Futebol