Tamanho do texto

Comissão de arbitragem disse que não comentaria lances específicos; CBF reafirma que viu 'claro erro de arbitragem' no gol suíço e em lance de pênalti

Gabriel Jesus no lance em que a seleção brasileira reclamou de pênalti; para Fifa, lance foi normal
André Mourão/MoWA Press - 17.6.18
Gabriel Jesus no lance em que a seleção brasileira reclamou de pênalti; para Fifa, lance foi normal

A Fifa respondeu ao ofício encaminhado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF)  cobrando esclarecimentos sobre a não utilização do assistente de vídeo (VAR) em lances polêmicos do empate da seleção brasileira com a Suíça, por 1 a 1, no último domingo (17).

Os encarregados da Fifa pela arbitragem na Copa do Mundo explicaram que a entidade máxima do futebol não iria comentar oficialmente se considera que houve ou não falta de Zuber em Miranda no lance do gol da Suíça, e nem se houve pênalti em Gabriel Jesus em lance do segundo tempo da partida. 

A resposta encaminhada à CBF ainda nessa terça-feira (19) explica apenas que o VAR tem como objetivo prevenir "erros claros e óbvios" e "sérios incidentes" que passem despercebidos. Os demais casos ficam sujeitos à exclusiva atuação do árbitro de campo, conforme explicara o chefe da Comissão de Arbitragem, o ex-árbitro Pierluigi Collina, e o secretário-geral adjunto para futebol, Zvonimir Boban.

“Como tem sido repetidamente comunicado, a pergunta que os VARs devem fazer a si mesmos quando o árbitro toma uma decisão durante uma partida não é 'a decisão do árbitro foi correta?'. Eles devem se perguntar se 'a decisão do árbitro foi clara e obviamente errada?', pois a interpretação do árbitro em todas as demais situações é e permanece a única relevante quando uma decisão é tomada”, diz a resposta da Fifa.

A entidade também esclareceu que não fez nenhuma avaliação pública sobre a atuação da arbitragem no jogo entre Brasil e Suíça. "No que diz respeito a relatos incorretos na mídia, observe que o Comitê de Arbitragem da Fifa não fornece comentários não oficiais sobre as decisões dos árbitros. Se e quando o comitê decidir comentar a decisão de um árbitro, isso só será feito oficialmente por meio de uma declaração oficial ou durante uma coletiva de imprensa.”

Por fim, a FIFA também comunica que, antes da disputa da Copa do Mundo, decidiu que as gravações das conversas entre os oficiais de jogo e os oficiais de vídeo não estariam disponíveis.

Leia também: Neymar participa de treino com bola e tranquiliza seleção após reclamar de dores

Confederação brasileira mantém bronca

A CBF, em nota, reafirmou que considera ter havido "claro erro de arbitragem" nos lances questionados, e defende que esses erros poderiam ter sido evidenciados no caso da utilização do árbitro de vídeo, cobrando a abertura desse debate.

"A entidade tem certeza de que, ao manter o diálogo com a Fifa , evitará erros em procedimentos futuros, bem como colaborará para o aperfeiçoamento do uso da tecnologia", disse a CBF.

Leia também: Regra bizarra impede que jogador comemore gol da própria equipe na Copa; entenda

    Leia tudo sobre: futebol