Tamanho do texto

Técnico disse que pressa levou Brasil a errar chutes e discordou de Miranda por sugerir que deveria ter se jogado ao ser empurrado no lance do empate

Técnico Tite discordou de Miranda, que disse que deveria ter se jogado no lance do gol da Suíça
André Mourão/MoWA Press - 17.6.18
Técnico Tite discordou de Miranda, que disse que deveria ter se jogado no lance do gol da Suíça

O técnico da seleção brasileira, Tite, reconheceu que a equipe sofreu com a "ansiedade" e "sentiu emocionalmente" a estreia na Copa do Mundo neste domingo (17), no empate com a Suíça por 1 a 1 . Apesar de reconhecer as falhas próprias de sua equipe, o treinador reclamou de uma falta "muito clara" não marcada no lance do gol adversário, onde Miranda foi empurrado por Zuber antes de o jogador suíço cabecear para o gol.

"Nós não temos que pressionar a arbitragem, pois tem todo um processo, uma sistemática com pessoas que avaliam, e eu não posso trazer para o Brasil uma equipe desequilibrada que fica pensando em arbitragem . Agora, o lance do Miranda é muito claro. É muito limpo. Não é pouco, é muito. O segundo [lance, de suposto pênalti em Gabriel Jesus] é passível de interpretação, mas o primeiro não. Isso não pode em alto nível", protestou Tite .

Na saída do gramado da Arena Rostov, o zagueiro Miranda, protagonista do controverso e fatídico lance do empate suíço, sugeriu que deveria "ter se jogado" para chamar a atenção da arbitragem . Já Tite contrariou essa proposta. "Isso pode caracterizar simulação. Tem que matar no peito. Não quero que simule", disse.

Leia também: Com ataque pouco criativo, veja as notas dos jogadores do Brasil contra a Suíça

"Se estou contente? Claro que não"

O técnico da seleção afirmou que "ficou feliz em dois terços da partida", mas não escondeu sua frustração com o resultado final da estreia brasileira. "Claro que a minha expectativa era de vitória. Se eu estou contente com o resultado? Claro que não."

"Até o momento do gol, a equipe colocou um ritmo muito forte, mas depois recuou, o que não é o nosso normal. A ansiedade bateu forte. E aí, isso se traduziu na finalização imprecisa. Quando você apressa demais, a gente fica impreciso. Se estivesse um pouco mais centrado, daria para, pelo menos, fazer o goleiro trabalhar mais. A equipe sentiu emocionalmente e isso serve também de aprendizado", analisou. 

O técnico explicou que mandou Fernandinho a campo no lugar de Casemiro pois via risco de o camisa 5 da seleção ser expulso, já que havia recebido o cartão amarelo. O treinador disse que gostou da movimentação de Gabriel Jesus em campo, mas optou por substituí-lo por Roberto Firmino devido à confiança que a boa fase tem trazido ao atacante do Liverpool.

Já sobre tirar Paulinho para colocar Renato Augusto, Tite afirmou que o titular "não estava em seu melhor dia". "O Renato é um articulador e o Paulo não estava em seu melhor dia. Então eu trago um jogador pensador que por bastante tempo jogou com o Coutinho e com o Neymar", explicou.

O o auxiliar técnico de Tite , Cléber Xavier, afirmou que a seleção deve treinar mais finalizações para não repetir o ocorrido na estreia. O Brasil chutou 20 vezes contra o gol adversário, mas só o acertou em quatro ocasiões.

Leia também: Confira os melhores memes da estreia da seleção brasileira na Copa do Mundo

    Leia tudo sobre: futebol