Tamanho do texto

Na escola, apesar de ser sempre escolhido para jogar na linha, o defensor gostava mesmo era de ficar no gol

Marquinhos é zagueiro da seleção brasileira
CBF/Divulgação
Marquinhos é zagueiro da seleção brasileira

Marquinhos é um dos quatro zagueiros convocados por Tite para disputa da Copa do Mundo na Rússia pela seleção brasileira, sendo um dos principais jogador do PSG, da França. Contudo, o que poucos sabem é que ele gostava de ser goleiro na infância. 

Leia também: Sob a batuta de Neymar, Brasil chega à Rússia como favorito ao título

Sempre que podia, Marquinhos pedia para jogar no gol nas aulas de futsal no Colégio Salesiano Santa Teresinha, localizado em São Paulo. Ele frequentou a escola entre 2001 e 2005 e cursou do 1º ao 5º anos do Ensino Fundamental. 

"Ele brincava muito com os amigos. No futebol, gostava sempre de jogar no gol, apesar de ser sempre o primeiro a ser escolhido para jogar na linha", disse Adalberto de Oliveira Barbosa, coordenador da Escola de Esportes e Danças do colégio. 

Veloz e rápido, o zagueiro também se destacava em outros esportes. Ele conquistou diversas medalhas nos Festivais de Atletismo que a escola organizava, principalmente nas provas de corrida. Mas era o futebol que o cativava.

Irmão era o mais cotado

Marquinhos na seleção
Lucas Figueiredo / MoWA Press
Marquinhos na seleção

Em 2002, durante o Mundial que o Brasil sagrou-se pentacampeão, o Colégio Salesiano Santa Teresinha organizou uma "Copa do Mundo" com seus alunos no futsal. O futuro atleta da seleção brasileira foi o destaque com a camisa de Portugal. 

Na época, ele ainda não integrava a categoria de base do Corinthians, seu clube de coração – o que ocorreu alguns anos depois. Até porque, por mais talentoso que fosse, era seu irmão Luan, e não ele, o mais cotado a fazer sucesso no futebol. 

Leia também: Após goleada, cartolas da Arábia Saudita cogitam punir jogadores

"Todos falavam do irmão dele, o Luan, que era considerado o mais habilidoso da família. O próprio Marquinhos sempre diz que o irmão é um de seus ídolos", comentou Adalberto.

Mas ao entrar no Corinthians a história mudou e Marquinhos teve uma carreira meteórica. Em 2011, aos 17 anos, já integrava a equipe de profissionais do clube paulista. Em 2012, fez parte do grupo campeão da Libertadores da América. Em janeiro de 2013 foi negociado com a Roma, da Itália, e logo virou titular absoluto – mesmo aos 19 anos. Seis meses depois, já estava no PSG, da França, onde atua até hoje. 

Leia também: Árbitro de Real Madrid x Grêmio apitará estreia do Brasil na Copa

"Sua maior característica é a humildade e o respeito com as pessoas e amigos. Esse exemplo vem de casa, dos pais e irmãos que tinham a mesma postura. Marquinhos merece, e muito, estar entre os melhores zagueiros do mundo", finalizou o treinador Adalberto de Oliveira Barbosa.

    Leia tudo sobre: Futebol