Tamanho do texto

Wilson Luiz Seneme, que também é membro do Comitê de Arbitragem da Fifa, instruiu a delegação sobre vantagens e exigências formuladas pelo VAR

Jogadores da seleção participaram da aula sobre o VAR após sessão de fotos oficial da Fifa
Reprodução/CBF
Jogadores da seleção participaram da aula sobre o VAR após sessão de fotos oficial da Fifa

O auxílio do vídeo na arbitragem da Copa do Mundo é uma das novidades do torneio em 2018. Apesar de ser vantajoso para o desenvolvimento adequado das partidas, o recurso, conhecido como VAR, precisa de atenção não só por parte de quem apita, mas também de quem joga.

Leia também: Paulinho reconhece importância de Tite em seu retorno à seleção e exalta China

Pensando nisso, os atletas da seleção brasileira receberam um treinamento sobre o sistema de arbitragem por vídeo na última quinta-feira (12). O ex-árbitro Wilson Luiz Seneme, que também é membro do Comitê de Arbitragem da Fifa, foi o responsável por instruir a delegação sobre as condições, vantagens e exigências formuladas pelo uso do VAR .

"O objetivo é que os jogadores e as comissões técnicas entendam qual foi o trabalho feito durante quatro anos com esses árbitros e com quais critérios eles vão trabalhar nas partidas da Copa do Mundo", explicou Seneme ao canal da Confederação Brasileira de Futebol, a CBF TV.

Com isso, a CBF espera que os jogadores tenham noção dos procedimentos adotados pelos árbitros de vídeo, evitando que haja incoerência com a postura esperada pela Fifa nos jogdos da Copa da Rússia.

Leia também: Sergio Ramos se pronuncia após demissão do treinador da seleção da Espanha

A reunião com Seneme aconteceu logo após participação do técnico Tite e os 23 jogadores em um ensaio de fotos oficiais do torneio. As imagens captadas também serão usadas em animações que a Fifa utilizará no momento de apresentar as escalações antes de cada partida.

Médico de vídeo?

Além de ajudar a arbitragem, o sistema de vídeo será utilizado na Copa com outra finalidade um pouco mais inusitada. Após a confirmação de que o goleiro Karius, do Liverpool, sofreu uma concussão cerebral na final da Champions League contra o Real Madrid, a Fifa pretende colocar um médico em cada partida para ficar de olho nas mesmas 33 câmeras disponíveis para o árbitro de vídeo.

Leia também: Dos 736 jogadores da Copa do Mundo, 536 serão estreantes; veja as curiosidades

A intenção da Fifa com o VAR médico é pemitir que os jogadores tenham um diagnóstico mais rápido caso aconteça algum incidente durante as partidas, como foi o caso do goleiro do Liverpool. Com isso, a entidade busca evitar prejuízos às equipes e, principalmente, à saúde dos atletas.

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.