Tamanho do texto

Com a maior média de idade da história, o Mundial da Rússia será a Copa da experiência e terá uma série de marcas individuais e coletivas em disputa

Além da sonhada taça, Copa do Mundo da Rússia terá em jogo uma série de recordes individuais e coletivos
Divulgação/Fifa
Além da sonhada taça, Copa do Mundo da Rússia terá em jogo uma série de recordes individuais e coletivos

Mais de  700 jogadores darão início no próximo dia 14 à disputa que irá definir qual a próxima grande campeã da Copa do Mundo. O ról das seleções que já alcançaram esse objetivo é seleto, com apenas oito nações: Brasil (cinco vezes), Alemanha (quatro vezes), Itália (quatro vezes), Argentina (duas vezes), Uruguai (duas vezes), Espanha, França e Inglaterra (uma vez cada).

Mas, além da tão cobiçada taça, há também recordes individuais e coletivos a serem perseguidos durante a Copa do Mundo da Rússia. Confira abaixo quais marcas podem ser reescritas nas próximas semanas.

  • Jogador mais velho a disputar uma partida da Copa

Esse título pertence atualmente ao goleiro colombiano Mondragón, que tinha 43 anos e 3 dias de idade quando entrou em campo na vitória de sua seleção contra o Japão na Copa do Mundo de 2014, no Brasil. O recorde, no entanto, está com os dias contados, já que o também goleiro El-Hadary, do Egito, terá 45 anos e 5 meses quando entrar em campo por sua seleção no próximo dia 15, contra o Uruguai.

O egípcio é quase seis anos mais velho que o segundo jogador mais experiente no Mundial, o mexicano Rafa Márquez, e sua idade supera também a de três técnicos: o de Senegal (Aliou Cisse), o da Sérvia (Mladen Krstajic) e o da Bélgica (Roberto Martinez).

Leia também: Oito jogadores 'desconhecidos' para ficar de olho na Copa do Mundo

  • Jogador com participação em mais edições da Copa

Diego Maradona em 'La Mano de Dios' – argentino é o capitão com mais partidas em Copas
Divulgação/Fifa
Diego Maradona em 'La Mano de Dios' – argentino é o capitão com mais partidas em Copas

Já que citamos Rafa Márquez, aí vai uma dele: o ex-zagueiro do Barcelona está indo para sua quinta participação em Copas, igualando o recorde do também mexicano Antonio Carbajal (que jogou as Copas de 1950 a 1966), do alemão Lothar Matthaeus (1982 a 1998) e do italiano Gianluigi Buffon (1998 a 2014). Este último, como a maioria bem sabe, poderia se isolar na liderança desse quesito, mas a tetracampeã Itália não se classificou para o Mundial da Rússia.

Rafa Márquez já detém a marca de jogador que vestiu a braçadeira de capitão em mais edições da Copa (quatro) e pode alcançar na Rússia também o posto de atleta com mais partidas como capitão. O zagueiro mexicano soma 14 jogos nessa condição, enquanto o líder do quesito é o lendário Diego Maradona, que foi o capitão da Argentina em 16 partidas.

  • Jogador mais advertido na história das Copas

Nem todos os recordes e marcas pessoais são positivas, e Rafa Márquez sabe bem disso: o jogador já é um dos atletas que mais vezes receberam cartão amarelo ou vermelho em uma partida de Copa do Mundo: foram seis advertências. O mexicano atualmente está empatado nesse quesito com Cafu e Zidane, e pode se isolar na indigeta liderança se não tomar cuidado na Rússia.

Além de Rafa Márquez, outros dois jogadores que estarão na Copa têm chances reais de assumirem esse título: Javier Mascherano, da Argentina, e Tim Cahill, da Austrália. Ambos já advertidos cinco vezes em jogos do Mundial.

  • Maior goleador da história das Copas

Miroslav Klose se tornou o maior artilheiro da história da Copa do Mundo nos 7 a 1 contra o Brasil
Marcello Casal Jr./Agência Brasil - 11.8.14
Miroslav Klose se tornou o maior artilheiro da história da Copa do Mundo nos 7 a 1 contra o Brasil

Após Miroslav Klose ter superado Ronaldo em 2014 na condição de maior artilheiro de todas as Copas, com 16 gols, outro alemão tem condições de tomar esse posto já nesta edição do Mundial. Thomas Müller, do Bayern de Munique, não é exatamente um grande artilheiro em seu clube, mas tem brilhado intensamente quando o assunto é Copa do Mundo: ele já tem 10 gols marcados em apenas 13 partidas.

Caso Müller tenha mais uma participação excepcional no Mundial e consiga superar Klose, ele ainda se tornará o primeiro jogador a conseguir marcar ao menos cinco gols em uma única edição da Copa. O próprio Klose atingiu o feito em duas oportunidades (2002 e 2006), bem como o peruano Teofilo Cubillas (1970 e 1978).

Leia também: Neymar, Messi, Salah e Sterling: Veja quem usará a camisa 10 na Copa do Mundo

  • Média de idade mais elevada da história das Copas

O jogador mais jovem desta edição da Copa do Mundo é o atacante australiano Daniel Arzani, que tem 19 anos de idade. Arzani chega ao Mundial da Rússia mais velho que os jogadores que detinham esse título nas edições anteriores da Copa: o inglês Theo Walcott, que tinha 17 anos quando foi à Copa de 2006, o dinamarquês Christian Eriksen, que tinha 18 anos de idade em 2010, e o camaronês Fabrice Olinga, que tinha 18 anos no Mundial de 2014.

Esse dado isolado sugere o que a estatística ampliada comprova: essa é a Copa do Mundo da experiência. A média de idade entre os 736 jogadores que estarão na Rússia é de 28 anos, o que, de acordo com a Fifa, é a média mais alta na história do torneio.

  • Seleção com maior número de partidas em Copas

Seleção brasileira é a maior campeã da história da Copa do Mundo, com cinco conquistas (1958, 1962, 1970, 1994 e 2002)
Mowa Press
Seleção brasileira é a maior campeã da história da Copa do Mundo, com cinco conquistas (1958, 1962, 1970, 1994 e 2002)

Essa disputa dependerá exclusivamente do desempenho de duas seleções: Brasil e Alemanha. Os alemães são os atuais líderes no quesito, tendo entrado em campo em 106 oportunidades – duas a mais que o Brasil.

Para que a seleção canarinho ultrapasse a Alemanha nesse quesito, os atuais campeões poderão chegar, no máximo, às oitavas de final da Copa, e os comandados pelo técnico Tite precisam chegar, no mínimo, às semifinais do torneio (lembrando que, mesmo que a seleção seja eliminada nessa fase, ela ainda entraria em campo para a disputa do terceiro lugar).

  • Melhor debutante da história das Copas

Deixando de lado as duas primeiras edições da Copa, onde praticamente todas as seleções estavam estreando no torneio, o melhor desempenho de uma seleção que estava debutando em um Mundial foi a terceira posição, alcançada por Portugal, em 1966, e pela Croácia, em 1998. Ou seja: para superar essa marca, as estreantes Islândia e Panamá precisarão, no mínimo, chegar à final da Copa. Tá fácil?

  • Seleção mais indisciplinada

Ganha um doce aquele que acertar qual a seleção com maior número de advertências na história das Copas. Parabéns, você ganhou. É mesmo a Argentina, que já soma 120 cartões (112 amarelos e 8 vermelhos) em apenas 77 partidas disputas. A segunda colocada nessa matéria é a seleção da Alemanha, que contabiliza 117 advertências (112 amarelos e 5 vermelhos) em seus 106 jogos. O Brasil é o terceiro nesse ranking, com 108 cartões (98 amarelos e 10 vermelhos) em 104 partidas.

  • Árbitro que apitou mais partidas em Copas

O detentor desse título é o uzbeque Ravshan Irmatov, que já apitou nove partidas e pode ampliar sua marca, já que está na lista de árbitros para a Copa da Rússia. Irmatov fez sua estreia em 2010, no jogo de abertura da Copa do Mundo da África do Sul disputado entre os anfitriões e a seleção do México.

    Leia tudo sobre: futebol